Busca avançada
Ano de início
Entree

Estruturas aeronáuticas de materiais compósitos

Processo: 14/04021-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Aeroespacial
Pesquisador responsável:Jose Pissolato Filho
Beneficiário:Renan Henrique de Moraes Callegari
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Materiais compósitos   Delaminação   Caracterização estrutural   Manufatura

Resumo

O projeto envolve a colaboração entre ITA, IAE/CTA, UNICAMP, FEG/ Unesp, EESC/USP, Poli/USP, INPE, IEE, IPT e a EMBRAER visando inovações tecnológicas na indústria aeronáutica. O mesmo engloba a validação para uso aeronáutico de novas tecnologias, processos, métodos e critérios, de modo a efetivar o ciclo de desenvolvimento de novas soluções estruturais em compósitos, contemplando o projeto, cálculo, manufatura e ensaios, com demonstração e validação dos benefícios e limitações. O desenvolvimento tecnológico visa à criação de soluções eficazes e confiáveis através da capacitação em desenvolver diferentes estruturas aeronáuticas em compósitos, através de novas tecnologias, visando os aspectos estruturais, materiais, sistemas e a aeronavegabilidade continuada. A parte do projeto pela qual a UNICAMP e a iniciação cientifica estão responsáveis, é o estudo sobre efeitos diretos de descargas atmosféricas em aeronaves, a qual envolve testes com descargas elétricas similares a um raio nos compósitos que representam a fuselagem da aeronave, para obtensão de dados e estudos das características físicas dos materiais após a descarga. Com a utilização de materiais compósitos nos produtos da Embraer, espera-se obter redução de peso da ordem de 10% a 15% e de custo recorrentes da ordem de 10% para componentes estruturais, quando comparados com o equivalente atual em metálico. De maneira geral, o descrito acima é aplicável a cada uma das tecnologias a serem desenvolvidas, previamente selecionadas: processos de laminação automatizada; processos de infusão de matriz polimérica termorrígida, processos de junção via prendedores e/ou via adesivos de estruturas compósitas com estruturas metálicas.