Busca avançada
Ano de início
Entree

Léxico metalinguístico da tradição Tupinambá/ Nhengatu

Processo: 14/06823-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 03 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística
Pesquisador responsável:Maria Cristina Fernandes Salles Altman
Beneficiário:Maria Cristina Fernandes Salles Altman
Anfitrião: Ulrike Muhlschlegel
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Prussian Cultural Heritage Foundation, Alemanha  
Assunto(s):Tupinambá   Metalinguagem   América do Sul   Missionários

Resumo

Projeto em andamento: Léxico metalinguístico da Tradição Tupinambá/ Nheengatu (XVI-XIX) O presente projeto retoma estudos anteriores sobre a metalinguagem gramatical na tradição gramatical do Tupinambá/ Nheengatu realizados no âmbito do Documenta Grammaticae et Historiae. Projeto de Documentação Linguística e Historiográfica (Altman & Coelho 2006-2009, coords.), tendo em vista a elaboração de um dicionário histórico dos termos metalinguísticos ocorrentes nesta tradição. O objetivo central é mapear as redes de relações metalinguísticas propostas em 12 documentos desta tradição (Anchieta 1595, Figueira 1621, Vocabulário da Língua Brasílica (VLB) (Ayrosa 1938[1622]); Anônimo s/d (Códice 69 de Coimbra), Anônimo 1771 (Barros & Lessa 2008[1771]), Anônimo 1795 (Ayrosa 1934[1795]), Rodrigues 1890, Couto de Magalhães 1876, Faria 1858, Dias 1858, e Sympson 1877, Hartt 1937[1872]) em correlação com o período, fontes, autores, língua, princípios descritivos e explicativos desses mesmos textos, de modo a estabelecer, com o maior refinamento possível, e dentro dos limites da tradição em foco, a emergência dos termos e conceitos referentes à descrição gramatical e o momento - teórico e cronológico - em que nela se podem observar variações e mudanças da metalíngua.