Busca avançada
Ano de início
Entree

Hidrólise e fermentação de resíduos celulósicos visando a produção de etanol

Processo: 13/23385-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Teixeira de Moraes Polizeli
Beneficiário:Ana Sílvia de Almeida Scarcella
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/12624-0 - Aplicação de métodos físico-químicos e enzimáticos na sacarificação do bagaço de cana: estudos de microrganismos, processos fermentativos relacionados e métodos de hidrólise, AP.TEM
Assunto(s):Bioquímica   Bagaço de cana-de-açúcar   Hidrólise enzimática   Fermentação   Resíduos industriais   Etanol

Resumo

A dependência de fontes de energia não renováveis e altamente poluentes tem levado a sociedade a buscar alternativas para a utilização de combustíveis renováveis, que tem como vantagem o fato de a combustão do etanol levar a uma menor emissão de CO2, quando comparado ao uso de combustíveis fósseis. Os resíduos celulósicos, como de indústrias de papel e celulose e de usinas sucroalcooleiras, por serem ricos em celulose e hemicelulose estão sendo apontados como promissoras fontes para a produção de etanol. Com isso, este trabalho tem como objetivo hidrolisar resíduos celulósicos, como o lodo branco, resíduo sólido decorrente da produção da pasta de madeira e operações da fábrica de papel, e o bagaço de cana-de-açúcar, com enzimas celulolíticas e xilanolíticas, liberando açúcares fermentescíveis que serão utilizados pelas leveduras, fermentadoras de pentoses, hexoses e em cultura mista, para a produção de etanol. Este trabalho está inserido no projeto temático fomentado pela FAPESP, sob a coordenação da professora Dra. Eleni Gomes, e no projeto temático fomentado pela FAPESP, Instituto Nacional de Biotecnologia para o Etanol, sob a coordenação do professor Dr. Marcos Silveira Buckeridge, em parceria com CNPq - Edital dos Institutos Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação. (AU)