Busca avançada
Ano de início
Entree

Citotoxicidade de tungstato de prata (±-Ag2WO4) em solução e após revestimento de uma resina acrílica para base de prótese: análise do metabolismo celular

Processo: 13/26824-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Janaina Habib Jorge
Beneficiário:Laura Rabelo Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas   Próteses e implantes   Resinas acrílicas   Citotoxicidade

Resumo

Em próteses odontológicas e dispositivos médicos, diferentes biomateriais podem ser revestidos com nanopartículas, objetivando melhorar as suas propriedades biológicas, particularmente com relação à adesão e à proliferação de micro-organismos. Entretanto, a biocompatibilidade de diferentes biomateriais revestidos com nanopartículas ainda não foi avaliada e, assim, estudos são necessários objetivando melhorar sua performance in vivo. Dessa forma, o objetivo do presente estudo será avaliar a citotoxicidade de tungstato de prata (±-Ag2WO4) em solução e de uma resina acrílica para base de prótese revestida com prata, afim de torná-los viáveis para o uso clínico na prevenção de biofilmes. Para isso, corpos de prova (14 mm de diâmetro e 1,2 mm de espessura) de uma resina acrílica para base de prova (Vipi Wave; VIPI Ind. e Com. Exp. e Imp. de Prod. Odont. Ltda., Pirassununga, SP, Brasil) serão preparados e divididos em dois grupos (n=6): não revestidos (controle) e revestidos por ±-Ag2WO4. Para a análise do efeito citotóxico das substâncias liberadas pelos corpos-de-prova, serão obtidos extratos das substâncias hidrossolúveis dessas amostras. Para isso, três corpos-de-prova de cada grupo experimental, serão colocados dentro de tubos de ensaio com 3 ml de meio de cultura DMEM e incubados por 24 horas. Para a realização do teste de citotoxicidade, 100 ul da suspensão composta de 1,0 x 105 células/ml serão colocados em cada compartimento de uma placa com 96 orifícios, incubada em estufa com 5% de CO2, a 37ºC por 24 horas. Após tal período de incubação, o meio de cultura será desprezado, permanecendo as células aderidas no fundo da placa, e 50 ul de meio de cultura novo serão colocados em cada orifício da placa juntamente com 50 ul do extrato contendo as substâncias liberadas pelos corpos de prova, a qual será incubada por 24 horas. Após o período de incubação, será avaliada a proliferação celular por meio dos testes MTT e análise da integridade da membrana. Os resultados do metabolismo celular das células viáveis após o contato com os extratos dos materiais estudados, serão submetidos ao método estatístico mais adequado e o nível de significância de 5% será selecionado (±=0.05). Além disso, para cada teste, os resultados serão comparados com o controle negativo e os tratamentos nos diferentes grupos experimentais serão classificados de acordo com o efeito citotóxico em escores de 0 a 3.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.