Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa entre o comprimento telomérico e características clínicas de portadores da mutação germinativa p.R337H no gene TP53

Processo: 14/03279-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Maria Isabel Alves de Souza Waddington Achatz
Beneficiário:Kelvin César de Andrade
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/14319-1 - Análise comparativa entre o comprimento telomérico e características clínicas de portadores da mutação germinativa p.R337H no gene TP53, BE.EP.MS
Assunto(s):Oncogenética   Encurtamento do telômero   Mutação em linhagem germinativa   Genes p53   Síndrome de Li-Fraumeni   Brasil

Resumo

A síndrome de Li-Fraumeni é uma doença de predisposição hereditária ao câncer relacionada a mutações germinativas no gene TP53. Apesar de rara no mundo, verificou-se no Brasil a alta ocorrência de uma mutação fundadora neste gene, a p.R337H. Esta mutação, que ocorre no domínio de oligomerização da proteína p53, difere das demais comumente descritas em portadores da síndrome, uma vez que estas acontecem no domínio de ligação ao DNA. Em um subgrupo assintomático de portadores da mutação p.R337H, foram verificadas características específicas, como baixa frequência de alterações metabólicas e doenças típicas do envelhecimento, além de um condicionamento físico melhor que o da população geral. Frente a tais observações, foram propostas as primeiras evidências de que esses indivíduos apresentem fatores genéticos moduladores da senescência celular. Dada a interação da proteína p53 com a via dos telômeros e senescência celular, a hipótese deste projeto é que portadores da mutação p.R337H, sem câncer, tenham um comprimento telomérico maior quando comparados tanto a portadores da mesma mutação afetados por câncer, quanto ao grupo controle (assintomáticos e sem mutações descritas). Isto iria diferenciá-los dos portadores de outras mutações no gene TP53 que possuem telômeros menores do que a população de idade correspondente. Por meio da análise do comprimento telomérico e sua correlação com os dados clínicos, serão avaliados 40 pacientes portadores da mutação p.R337H, sendo 20 com câncer e 20 sem câncer, além de 40 indivíduos controle. Este estudo fornecerá um melhor entendimento das consequências biológicas da p.R337H TP53 e proporcionará informações adicionais sobre as características de portadores de uma das mutações mais prevalentes já descritas na população brasileira. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.