Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do transplante intratecal de células tronco mesenquimais alogênicas em equinos sadios e portadores de sequelas neurológicas

Processo: 13/26931-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Rogério Martins Amorim
Beneficiário:Danielle Jaqueta Barberini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/20550-8 - Estudo das propriedades anti-inflamatórias locais das células-tronco mesenquimais: tratamento de lesões do pé e casco de equinos, BE.EP.DR
Assunto(s):Equinos   Sistema nervoso   Imunologia veterinária   Células-tronco mesenquimais

Resumo

As células-tronco mesenquimais (CTMs) são células progenitoras multipotentes que possuem extensa habilidade de se diferenciar in vitro em diversas linhagens mesenquimais, e apesar de ainda controverso, em outras linhagens germinativas como neurônios, células da glia e hepatócitos, em resposta a estímulos específicos. Pela capacidade regenerativa limitada do tecido neural, o potencial terapêutico do enxerto de células-tronco tem sido estudado em várias condições patológicas do sistema nervoso central (SNC). Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar a viabilidade, segurança e a resposta a transplantes sucessivos intratecal, de CTMs provenientes de diversas fontes em equinos. Para isso, serão coletadas, cultivadas, caracterizadas e avaliados o potencial tumorigênico, de transdiferenciação e terapêutico de CTMs provenientes da medula óssea (n=5), tecido adiposo (n=5) e cordão umbilical (n=5). Posteriormente, a linhagem celular de cada fonte que apresentar melhor transdiferenciação neural na Fase de caracterização, será utilizada para o transplante por via intratecal pela cisterna lombo-sacra em animais sadios (GC=4; GTMO=4; GTTA=4; GTCU=4), totalizando 3 aplicações com intervalo de 15 dias. Após esta etapa, as CTMs serão utilizadas para o transplante por via intratecal pela cisterna lombo-sacra nos animais do grupo doente, com incoordenação motora como sequela de Mieloencefalite Equina por Protozoário (MEP) (GD=8), sendo 3 aplicações com intervalo de 15 dias. Todos os animais (grupo sadio e doente) serão avaliados por exame neurológico seriado, análise hematológica, análise do líquido cefalorraquidiano (LCR) e expressão das metaloproteinases do tipo 2 e 9 nas formas latente e ativadas no LCR antes e após cada transplante. Os resultados esperados poderão auxiliar na escolha da melhor fonte de células-tronco mesenquimais, visando aquela de melhor qualidade terapêutica, para a criação de um banco de células, que propiciará a realização de testes clínicos mais amplos utilizando-se terapia alogênica para determinadas enfermidades neurológicas dos equinos. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BARBERINI, Danielle Jaqueta. Avaliação do transplante intratecal de células tronco mesenquimais alogênicas em equinos sadios e portadores de sequelas neurológicas. 2017. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.