Busca avançada
Ano de início
Entree

Anatomia funcional do lenho e arquitetura hidráulica da relação entre plantas hemiparasitas e suas hospedeiras

Processo: 14/10004-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Gregório Cardoso Tápias Ceccantini
Beneficiário:Plácido Fabrício Silva Melo Buarque
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/22833-1 - Anatomia funcional do lenho e arquitetura hidráulica da relação entre plantas hemiparasitas e suas hospedeiras, AP.R
Assunto(s):Plantas parasitas   Anatomia da madeira   Loranthaceae   Viscaceae

Resumo

As plantas parasitas são angiospermas que retiram parte ou a totalidade de suas necessidades nutricionais de outras plantas estabelecendo comunicações morfo-funcionais chamadas haustórios, que se conectam aos sistemas vasculares das hospedeiras e atuam no transporte de diversas substâncias, desde nutrientes até fatores de controle. O maior grupo dessas plantas é a ordem Santalales, com famílias muito representativas em número de espécies, como Loranthaceae e Viscaceae. Essas parasitas, chamadas popularmente de ervas-de-passarinho, são pouco estudadas anatomicamente e menos ainda se conhece da região de interação entre parasita e hospedeiro. Ao mesmo tempo, a maioria dos estudos existentes é estanque, separando aspectos morfológicos e anatômicos dos aspectos funcionais. A área da arquitetura hidráulica aborda o funcionamento do sistema vascular de forma integrada aos conhecimentos anatômicos. Assim, o projeto propõe estudar alguns gêneros de ervas-de-passarinho das famílias Loranthaceae (Struthanthus, Psittacanthus, Phthirusa, Tripodanthus) e Viscaceae (Arceuthobium, Phoradendron) e suas hospedeiras, de forma a avaliar o impacto das parasitas nos sistemas vasculares das mesmas, tanto em aspectos anatômicos, como funcionais, oferecendo uma visão abrangente e detalhada dessa relação. Serão realizados estudos anatômicos, usando técnicas tradicionais de microscopia de luz, além de métodos avançados de microscopia, como microscopia confocal, "fluorescence-lifetime imaging microscopy" (FLIM), microtomografia, microscopia eletrônica de transmissão e varredura. Essa abordagem será associada a experimentos de infiltração de corantes "in vivo" e mensurações de parâmetros hidráulicos como a condutividade hidráulica e da condutividade específica. Também ocorrerão medições de transpiração e de potencial hídrico das plantas envolvidas em várias condições ambientais ao longo do dia. As coletas e preparações serão feitas em conjunto com o pesquisador mexicano Guillermo Angeles, por meio de convênio de pesquisa firmado entre USP e INECOL. Os materiais serão provenientes de vários ecossistemas e formações vegetais do Brasil, como os campos rupestres, cerrados, florestas de galerias, de vários estados brasileiros. Todos os dados gerados serão analisados usando estatística paramétrica, análises de variância e análises multivariadas. Ao final, pretende-se comparar os caracteres com as filogenias existentes, de forma a discutir hipóteses relacionadas á diversificação do parasitismo no grupo.