Busca avançada
Ano de início
Entree

Inflamassomos NLRC4 e NLRP3 na doença periodontal experimental induzida por Aggregatibacter actinomycetemcomitans

Processo: 14/04926-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carlos Rossa Junior
Beneficiário:Fernanda Regina Godoy Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/17544-6 - O inflamassomo NLRC4 e a resposta imune e perda óssea na doença periodontal experimental, BE.EP.DR
Assunto(s):Doenças periodontais   Inflamação   Reabsorção óssea   Inflamassomos   Resposta imune

Resumo

A doença periodontal é a doença lítica do osso mais prevalente em humanos. É iniciada e mantida por microrganismos no biofilme dental, porém o dano tecidual é derivado primariamente da resposta do hospedeiro a estes microrganismos. Assim, as doenças periodontais representam um bom modelo de estudo das interações microbiota-hospedeiro e as informações geradas por estudos neste modelo podem ser úteis para outras condições de natureza infecciosa e também condições caracterizadas por inflamação crônica. Inflamassomos são complexos multi-proteicos expressos primariamente em células de origem mieloide (macrófagos) que incluem uma proteína da família dos receptores com domínio de oligomerização de nucleotídeos e repetições ricas em leucina (NLR), caspase-1 e uma proteína adaptadora. Estes complexos participam da resposta imune inata como sensores de padrões moleculares derivados de microrganismos (MAMPs) e do dano tecidual (DAMPs). Caspase-1 é considerada a proteína efetora dos inflamassomos e participa do processamento final de citocinas inflamatórias e morte celular. NLRP3 (Nalp3) tem papel essencial na ativação de caspase-1 em resposta a estímulos microbianos e não-microbianos e seu papel na regulação da resposta imune é suportado pelo fato de mutações nos genes de seus componentes estarem associados a diversas doenças autoimunes. O inflamassomo NLRC4 (Ipaf) participa da resposta imune a bactérias com sistema secretor tipo III ou IV, mas seu papel na reabsorção óssea associada à infecção periodontal ainda não foi investigado, enquanto que existem apenas informações incipientes indicando a relevância de NALP3 nestas condições. Nossa hipótese é que os inflamassomos NLPR3 e NLRC4 têm um importante papel na modulação da resposta imune associada à doença periodontal e influenciam de forma marcante a reabsorção do osso alveolar. Experimentos preliminares demonstram um marcante aumento da reabsorção óssea induzida por LPS bacteriano em animais knockout para NLRC4 e Caspase-1. O fato que animais deficientes em NLRC4 (com expressão de Caspase-1 que pode ser ativada por outros inflamassomos) apresentarem significativo incremento da perda óssea inflamatória indica que este inflamassomo tem um papel importante na modulação da resposta imune nas doenças periodontais que não é redundante ao de outros inflamassomos que podem ativar Caspase-1, como NALP1 e NALP3. A inibição da ativação dos inflamassomos por células T é um mecanismo recentemente descrito de controle endógeno da ativação da resposta imune, demonstrando a regulação recíproca entre os braços inato e adaptativo da resposta imune. A inibição dos inflamassomos NALP1 e NALP3 envolve não apenas células T regulatórias, mas também outros subtipos de células T CD4+ e, particularmente genes da família TNF, como TNF-alfa e RANKL. Interessante notar que células CD4+ ativadas não foram capazes de inibir a atividade do inflamassomo NLRC4 em macrófagos. Um melhor entendimento do papel dos inflamassomos em vários modelos de doença, bem como dos mecanismos moleculares da inibição dos inflamassomos pode levar a novas abordagens terapêuticas baseadas na modulação da resposta imune. Para determinar o papel dos inflamassomos NLRP3 e NLRC4 na doença periodontal e testar nossa hipótese, propomos o seguinte objetivo específico: - Determinar o papel dos inflamassomos NLRC4 e NLPR3 na modulação da resposta imune associada à doença periodontal Utilizaremos camundongos geneticamente 'normais' (wild-type, WT) e camundongos deficientes (KO) para NLRC4, NLRP3 e Caspase-1. A doença periodontal será induzida por injeção de Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa) nos tecidos gengivais palatinos adjacentes ao 1o. molar superior. O perfil de citocinas produzidas localmente nos tecidos gengivais por meio de ensaios multiplex na plataforma luminex, além de análises histológica estereométrica e imunohistoquímica. A extensão da reabsorção óssea alveolar será determinada por microtomografia computadorizada. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ROCHA, Fernanda Regina Godoy. Inflamassomos NLRC4 E NLRP3 na Doença Periodontal Experimental Induzida por Aggregatibacter Actinomycetemcomitans. 2016. 115 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Odontologia (Campus de Araraquara)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.