Busca avançada
Ano de início
Entree

Beauty CPAP: o impacto do tratamento da apneia obstrutiva do sono com aparelho de pressão aérea contínua sobre a percepção da idade e da aparência saudável, descansada e atraente num estudo prospectivo, randomizado, cruzado e placebo controlado

Processo: 13/12301-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Rogério Santos da Silva
Beneficiário:Fabiana Tokie Yagihara
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Placebos   Apneia obstrutiva do sono

Resumo

Introdução: acreditamos que, assim como na privação de sono, pacientes com apneia obstrutiva do sono (AOS) possam parecer mais cansados, menos saudáveis e menos atrativos. Nossa hipótese é que o tratamento da AOS com aparelho de pressão aérea positiva (CPAP) poderia positivamente afetar a aparência do paciente. Objetivos: o objetivo do presente estudo é comparar os efeitos de um mês de tratamento com CPAP e com placebo sobre a aparência de pacientes com AOS. Pacientes: serão avaliados 30 pacientes consecutivos, de ambos os gêneros, com idade entre 30 e 60 anos, com AOS moderada e grave. Critério de exclusão: pacientes com tratamento prévio de SAOS, diagnóstico prévio de doenças crônicas que pode interferir no padrão do sono e uso crônico álcool, abuso de drogas ou sedativos durante o último mês. Desenho do estudo: estudo prospectivo, randomizado e cruzado. Protocolo de estudo: os pacientes realizarão três polissonografias (PSG): a primeira para confirmação da AOS e outras duas adicionais com uso de dilatador nasal e para titulação de CPAP, antes do início de cada tratamento. Todos os pacientes serão aleatoriamente divididos em dois grupos de tratamento: 1) uso do placebo (dilatador nasal) e 2) uso do CPAP. Após um mês de tratamento nessas condições e uma semana de "washout", haverá cruzamento do tratamento, ou seja, os pacientes do grupo 1) receberão tratamento com CPAP e os pacientes do grupo 2) receberão tratamento com placebo, durante o período adicional de um mês. Os pacientes serão acompanhados por profissionais treinados para garantir o uso adequado do placebo e do CPAP durante todo o período de tratamento. Fotografia: Todos os pacientes serão padronizadamente fotografados nos três momentos experimentais: basal (imediatamente antes do início do tratamento), 1 mês (após um mês de tratamento definido no momento basal) e 2 meses (após um mês de tratamento cruzado). As fotografias serão apresentadas, em ordem aleatória, para 100 observadores, constituídos por indivíduos da população geral (ambos os gêneros, com nível socioeconômico e de escolaridade semelhantes), que não tenham conhecimento das condições do estudo. Utilizando uma escala visual analógica de 100 mm, os observadores deverão avaliar as faces dos pacientes, determinando se são atraentes (nada atraente até muito atraente), saudáveis (nada saudável até muito saudável) e cansadas (nada cansada até muito cansada). A idade também será perguntada para cada observador, durante a apresentação de cada fotografia. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
YAGIHARA, FABIANA; LORENZI-FILHO, GERALDO; SANTOS-SILVA, ROGERIO. Patients With OSA Are Perceived as Younger Following Treatment With CPAP. CHEST, v. 156, n. 3, p. 553-561, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.
YAGIHARA, FABIANA; LORENZI-FILHO, GERALDO; SANTOS-SILVA, ROGERIO. Nasal Dilator Strip is an Effective Placebo Intervention for Severe Obstructive Sleep Apnea. JOURNAL OF CLINICAL SLEEP MEDICINE, v. 13, n. 2, p. 215-221, 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.