Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção massal de colônias de abelhas sem ferrão e uso comercial para a polinização agrícola

Processo: 14/09387-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Cristiano Menezes
Beneficiário:Kátia Paula Aleixo
Empresa:Promip Comércio, Pesquisas e Desenvolvimento de Agentes Biológicos Ltda (PROMIP)
Vinculado ao auxílio:12/51112-0 - Produção massal de colônias de abelhas sem ferrão e uso comercial para a polinização agrícola, AP.PIPE
Assunto(s):Scaptotrigona depilis   Abelhas   Morango   Polinização   Agrotóxicos   Desenvolvimento sustentável

Resumo

A polinização constitui um serviço essencial na produção de muitos alimentos e na América do Sul, o valor do serviço de polinização foi estimado em torno de US$ 20 bilhões por ano. Em muitos países as abelhas são utilizadas na polinização agrícola, no entanto, no Brasil o manejo de abelhas para a polinização é praticamente inexistente. A indisponibilidade de colônias para compra ou aluguel é um dos obstáculos para a adoção dessa prática no país. Outro obstáculo para o uso das abelhas na agricultura é o uso de produtos químicos que podem afetar a saúde das colônias. Esperamos com esse projeto fornecer subsídios para instalação de uma biofábrica que realizará a produção em larga escala de colônias de abelhas sem ferrão, visando o uso comercial em serviço da polinização agrícola. Assim, os principais objetivos desta proposta são: produção massal de colônias de Scaptotrigona depilis; seleção de agrotóxicos compatíveis com essa espécie e definição de práticas agrícolas amigáveis ao serviço de polinização pelas abelhas; e distribuição de colônias em campo e acompanhamento do desempenho dos agentes polinizadores; definição do protocolo de procedimentos para o manejo integrado da cultura e do polinizador. Inicialmente a cultura alvo será o morango. O morangueiro foi escolhido como a cultura modelo devido à abundância de estudos realizados em áreas de produção comercial no Brasil, com diversos cultivares, demonstrando déficit de polinização e um incremento na produtividade e na qualidade dos frutos com o manejo de polinizadores. A produção massal das colônias será realizada através dos seguintes passos: produção de rainhas in vitro, controle da cópula, formação de mini-colônias e confinamento. Já a avaliação da compatibilidade de produtos químicos com os agentes polinizadores será feita testando o efeito letal (exposição por contato tarsal, aplicação tópica e ingestão) e subletal (bioensaio proposto pela Organisation for Economic Co-operation and Development) de agrotóxicos que estão registrados para a cultura do morango no Brasil. A eficiência do serviço de polinização será avaliada através da comparação da produtividade (peso fresco) das plantas e da qualidade dos frutos (% de frutos deformados) antes e depois da introdução das abelhas nas áreas. A avaliação da saúde das colônias será realizada antes e durante a introdução das colônias nas plantações, com o intuito de garantir a qualidade dos serviços de polinização prestados. Espera-se criar um sistema de produção massal de colônias de abelhas sem ferrão, um protocolo para a introdução e utilização das colônias em plantações de morango e um catálogo contendo os produtos químicos compatíveis com as abelhas e as práticas alternativas para os produtos não compatíveis. A criação de tal sistema integrado deverá abrir novo campo no mercado nacional, com possibilidade de ampliação para outras espécies de abelhas e de culturas agrícolas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.