Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resposta tecidual e da capacidade de mineralização dos cimentos Biodentine e MTA branco

Processo: 14/02327-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Eloi Dezan Junior
Beneficiário:Diego Valentim
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Hidróxido de cálcio   Microtomografia   Mineralização dentinária

Resumo

O objetivo deste estudo será avaliar a resposta tecidual e a capacidade de mineralização dos materiais endodônticos BiodentineTM, MTA Angelus Branco® comparados ao Hidróxido de cálcio. Serão utilizados 100 ratos Wistar. Quarenta receberão implantes subcutâneo, divididos em grupos de 10 animais para os períodos experimentais de 7, 15, 30 e 60 dias. Todos os animais receberão quatro implantes de tubos de polietileno, três contendo os materiais a serem testados e um tubo vazio para controle. Após cada período pós-operatório, os animais serão eutanasiados e os tubos de polietileno juntamente com o tecido que o circunda serão removidos e fixados em formol à 10%, em seguida as peças serão seccionadas ao meio onde uma das partes será incluída em glicol metacrilato para coloração de HE, Von Kossa e sem coloração para análise com luz polarizada e a outra metade será incluída em parafina, onde serão processadas e examinadas por meio da marcação imunoistoquímica para tenascina e fibronectina. O restante dos animais (n=60) será submetido à Pulpotomia. Os primeiros molares superiores direito e esquerdo terão a polpa coronária exposta e removida, sendo realizada a proteção da polpa radicular com os materiais testados e o selamento com Ionômero de vidro, um grupo será selado diretamente com Ionômero de vidro como controle. Após os períodos de 7, 15 e 30 dias, as maxilas serão removidas e fixadas em formol 10% seguido de desmineralização em EDTA 10% e inclusão em parafina. A coloração será realizada em HE, Brown e Brenn e marcação imunoistoquímica para tenascina e fibronectina. Será realizada a microtomografia das peças antes da desmineralização para visualizar se houve a formação da ponte de dentina. O critério de avaliação histológica para o subcutâneo será de 0: nenhuma ou poucas células e nenhuma reação; 1: menos de 25 células e reação leve; 2: entre 25 e 125 células e reação moderada; 3: 125 ou mais células e severa reação. Cápsula fibrosa será considerada fina quando <150¼m e espessa quando >150¼m. Para a pulpotomia, Será avaliada a formação de tecido duro (continuidade, morfologia e espessura), inflamação pulpar (tipo, intensidade e extensão), e outras características histológicas do tecido pulpar, incluindo a camada de células odontoblásticas e a penetração bacteriana. O critério de avaliação da imunomarcação será: 0 = ausência de imunomarcação; 1 = baixo padrão de imunomarcação; 2 = moderado padrão de imunomarcação; 3 = alto padrão de imunomarcação; 4 = padrão extremamente alto de imunomarcação. Os resultados serão analisados pelos testes de Kruskal Wallis (±=0.05). (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VALENTIM, Diego. Avaliação da resposta tecidual e da capacidade de mineralização dos cimentos Biodentine e MTA Branco. 2017. 68 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista (Unesp) Faculdade de Odontologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.