Busca avançada
Ano de início
Entree

Manipulação farmacogenética e investigação de alterações moleculares em sinapses entre neurônios seletivamente ativados na reinstalação da autoadministração de etanol

Processo: 14/02296-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 17 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Cleopatra da Silva Planeta
Beneficiário:Rodrigo Molini Leão
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Ratos   Autoadministração   Citometria de fluxo   Etanol

Resumo

A dependência de etanol é um grande problema de saúde pública no Brasil e no mundo. As perdas e os custos sociais e econômicos são altíssimos. Os problemas relacionados a dependência ao etanol não só afetam o dependente mas também toda a comunidade, incluindo familiares e vítimas de violências e acidentes. Entretanto, os tratamentos utilizados não são totalmente eficazes, pois cerca de 80-95% dos pacientes recaem ao uso dessa substância. Assim, a compreensão dos mecanismos moleculares envolvidos na dependência ao etanol pode contribuir de forma crucial para a descoberta de novos alvos terapêuticos e consequentemente para o desenvolvimento de fármacos mais eficazes para o tratamento desse grande problema social. Uma das teorias mais recentes sobre a dependência a substâncias de abuso, propõe que a dependência envolve comportamentos de aprendizado associativo em que com o uso repetido da substância de abuso, o individuo associa o efeito da droga com estímulos ou dicas do ambiente onde a substância esta sendo consumida e no decorrer do uso, somente a exposição a essas dicas ambientais poderia desencadear a fissura e fazer com que o individuo recaísse ao uso das drogas. Estudos recentes demonstram que essas associações são armazenadas por pequenos grupos neurais seletivamente ativados e que estão distribuídos por diferentes regiões encefálicas e conectados entre si através de sinapses fortes. Assim, a formação dessas associações envolveria plasticidades neurais nas sinapses entre esses pequenos grupos neurais seletivamente ativados. Embora muitos trabalhos comprovam o envolvimento desses pequenos grupos de neurônios em comportamentos condicionados relacionados a administração de substâncias de abuso, essa nova abordagem ainda não foi aplicada no estudo dos mecanismos neurais da dependência ao etanol. Assim, o objetivo geral do presente projeto é mostrar a participação desses pequenos grupos neurais na reinstalação da autoadministração de etanol induzida pelo ambiente e investigar as alterações moleculares presentes em sinapses entre neurônios seletivamente ativados no núcleo acumbens e córtex pré-frontal medial envolvidas com esse comportamento. Para esse propósito, utilizaremos ratos transgênicos e vetores virais para através de técnicas imunohistoquímicas caracterizar, quantificar e mostrar a presença dessas populações neurais especificamente ativadas no núcleo acumbens e córtex pré-frontal medial. Utilizaremos a metodologia de inibição farmacogenética por daun02 para mostrar funcionalmente a participação dessas populações neurais específicas neurais na reinstalação da autoadministração de etanol induzida pelo ambiente. Além disso, investigaremos as alterações moleculares nas sinapses entre essas pequenas populações neurais seletivamente ativadas através de uma metodologia inovadora envolvendo manipulação genética, viral e a técnica de citometria de fluxo para sinaptoneurossomas.