Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de um possível efeito terapêutico da administração de artesunato em camundongos portadores de Encefalomielite Autoimune Experimental.

Processo: 14/11588-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Liana Maria Cardoso Verinaud
Beneficiário:Ana Carolina de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Encefalomielite autoimune experimental   Inflamação   Imunomodulação

Resumo

A encefalomielite autoimune experimental (EAE), modelo murino para estudo de esclerose múltipla, consiste numa inflamação crônica do tecido neural desencadeada por resposta imune contra componentes do sistema nervoso central, resultando na perda gradual das funções neuromotoras. A neuro-inflamação autoimune é orquestrada por células e moléculas que infiltram o Sistema Nervoso Central (SNC) promovendo destruição local. O tratamento da esclerose múltipla é baseado na administração de fármacos com capacidade de modular/suprimir o sistema imune. Entretanto, tais drogas podem igualmente trazer consigo efeitos indesejados ao suprimirem o sistema imunológico de um organismo de forma geral, deixando-o mais susceptível a infecções oportunistas. Sendo assim, a identificação de novos fármacos com potencial terapêutico e efeitos colaterais reduzidos é necessária. Neste contexto, acumulam evidências que suportam a utilização de drogas antimaláricas no controle da inflamação autoimune. Nosso grupo demonstrou, previamente, que a cloroquina modula a EAE pela redução da inflamação local e indução de células T reguladoras. Contudo, pouco é conhecido a respeito do efeito do artesunato (ART) na inflamação. Interessantemente, foi demonstrado recentemente que a administração de ART reduziu a inflamação em artrite reumatoide experimental. Em vista das evidências presentes da literatura, a administração de ART pode resultar no desenvolvimento de nova abordagem terapêutica no controle da EAE. Por esse motivo, o objetivo do presente estudo é verificar se a administração de artesunato reduz o curso clínico da EAE de forma profilática e terapêutica. A expressão in loco de fatores envolvidos na neuro-inflamação autoimune em camundongos portadores de EAE tratados com ART será investigada também.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THOME, RODOLFO; DE CARVALHO, ANA CAROLINA; DA COSTA, THIAGO ALVES; WATANABE ISHIKAWA, LARISSA LUMI; DE CAMPOS FRAGA-SILVA, THAIS FERNANDA; SARTORI, ALEXANDRINA; RODRIGUES DE OLIVEIRA, ALEXANDRE LEITE; VERINAUD, LIANA. Artesunate Ameliorates Experimental Autoimmune Encephalomyelitis by Inhibiting Leukocyte Migration to the Central Nervous System. CNS Neuroscience & Therapeutics, v. 22, n. 8, p. 707-714, AUG 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.