Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso da conectividade funcional (fcMRI) na avaliação da ativação das áreas neurais da deglutição em adultos saudáveis e pacientes pós acidente vascular encefálico (AVE)

Processo: 13/26715-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Lucia Figueiredo Mourão
Beneficiário:Lucia Figueiredo Mourão
Anfitrião: Georgia A. Malandraki
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Columbia University in the City of New York, Estados Unidos  
Assunto(s):Acidente vascular cerebral   Transtornos de deglutição   Ressonância magnética   Imagem por ressonância magnética funcional   Paralisia cerebral   Conectividade cerebral

Resumo

Conectividade funcional no estado de repouso (resting-state) pela ressonância magnética (RM) é relativamente nova e um importante método de avaliação da interação entre regiões que ocorrem enquanto a sujeito não realiza uma tarefa especifica. Deglutição é uma atividade sensório-motora complexa. Estudos de imagem da deglutição têm indicado que múltiplas áreas estão envolvidas no controle neural da deglutição em adultos saudáveis, são poucos os estudos que analisam a conectividade entre as áreas neurais ativadas na deglutição. A lesão cerebral, como consequência do acidente vascular encefálico (AVE), pode resultar na alteração da deglutição. Em estudos da ativação neural por meio da ressonância magnética funcional (fMRI) in pacientes pós-AVE com lesões hemisféricas unilaterais, a ativação foi predominantemente em áreas corticais da deglutição do hemisfério intacto. Estudos observam disfunção das conexões das áreas neurais ativadas em pacientes disfágicos após o AVE. O objetivo do presente estudo é identificar a conectividade funcional das áreas da deglutição em adultos saudáveis e em pacientes disfágicos pós-AVE, por meio da fMRI. Método: 10 pacientes pós-AVE crônico (Grupo experimental - GE) e 10 adultos saudáveis (Grupo controle - GC) destros serão recrutados. Todos os participantes serão avaliados pelo exame sensório-motor oral, mini mental, escala de depressão baseada no Escore da Escala de Isquemia de Haschinski e pela avaliação videoendoscópica da deglutição (VED). Todos os pacientes deverão estar sem uso de cafeína e álcool por 12 horas antes da realização do experimento. No GE, todos os participantes deverão ter diagnóstico de AVE isquêmico, lesão cerebral unilateral pela RM e disfagia, diagnosticada pela VED. Os pacientes devem ter AVE com tempo superior a seis meses e nível de afasia leve o suficiente para que o paciente compreenda as instruções do experimento. Os critérios de inclusão do GC incluem: ausência de história de alterações de fala, linguagem e deglutição e ausência de diagnóstico de doença neurológica. O GC deverá ter idade e sexo pareado com o GE. Durante o experimento de resting-state fMRI, os participantes receberão a seguinte instrução: "relaxe, permaneça quieto, feche os olhos e não adormeça". O experimento terá cerca de 30 minutos. A conectividade funcional será extraída da atividade espontânea do cérebro em repouso. Durante o estado de repouso, alta coerência temporal de baixa frequência (<0,08 Hz), flutuações (LFFS) em séries temporais fMRI serão observadas entre as regiões cerebrais funcionalmente e espacialmente relacionados às redes neurais da deglutição. A análise da conectividade baseada em semente será executada com seis a oito milímetros de raio nas áreas de rede de deglutição conhecidos, tais como motor primário e secundário e córtex sensorial, ínsula anterior e posterior, opérculo frontal e giro cingulado anterior. Todos os participantes serão familiarizados com os procedimentos experimentais antes de iniciar o estudo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MOURAO, LUCIA FIGUEIREDO; FRIEL, KATHLEEN M.; SHEPPARD, JUSTINE JOAN; KUO, HSING-CHING; LUCHESI, KAREN FONTES; GORDON, ANDREW M.; MALANDRAKI, GEORGIA A. The Role of the Corpus Callosum in Pediatric Dysphagia: Preliminary Findings from a Diffusion Tensor Imaging Study in Children with Unilateral Spastic Cerebral Palsy. DYSPHAGIA, v. 32, n. 5, p. 703-713, OCT 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.