Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do restrição proteica gestacional seguida pela exposição à dieta hyperlipídica sobre a próstata ventral de filhotes machos de rato Wistar

Processo: 14/06096-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Flávia Bessi Constantino
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Próstata   Desenvolvimento fetal   Dieta hiperlipídica

Resumo

O rápido aumento na incidência de sobrepeso e obesidade tem sido atribuído à grande disponibilidade de alimentos ricos em gordura, aliado a alterações nos hábitos de vida. No entanto, estudos recentes sugerem que alterações durante o desenvolvimento podem estar entre as principais causas da epidemia de obesidade. A restrição de crescimento intra-uterino aumenta o risco de obesidade na vida adulta, possivelmente por alterações ocorridas no desenvolvimento do controle do apetite. Estudos recentes tem demonstrado que a obesidade altera os níveis de hormônios esteróides, influenciando o desenvolvimento de lesões prostáticas tanto em humanos como em modelos experimentais. Assim, considerando os dados que demonstram que a restrição protéica gestacional aumenta a incidência de obesidade na prole, o objetivo do presente projeto será estudar os efeitos da restrição protéica durante o período gestacional em ratos machos, submetidos ou não à sobrecarga calórica sobre a próstata ventral de ratos wistar. Ratos machos filhos de mães controles ou submetidas à restrição protéica durante a gestação receberão ração normal ou hiperlipídica a partir da 8ª semana de vida. Após oito semanas de ingestão das diferentes dietas as próstatas ventrais dos diferentes grupos experimentais serão avaliadas por técnicas histológicas de hematoxilina&Eosina e Picrosirius, imunohistoquimicas para Ki67, AR e IGF-1, bioquímicas de zimografia para avaliação da atividade das MMPs 2 e 9 e Western blotting para AR e IGF-1. Os resultados ajudarão a entender os efeitos da programação fetal e obesidade sobre a morfofisiologia prostática.