Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos estruturais e moleculares do músculo cardíaco durante a transição entre a disfunção e a Insuficiência Cardíaca: expressão de metaloproteinases e das TIMPs envolvidas na fibrose cardíaca.

Processo: 14/10855-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Francielle Caroline Mosele
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Fibrose   Metaloproteinases   Insuficiência cardíaca

Resumo

A remodelação cardíaca (RC) é um processo tempo dependente que promove alterações celulares e moleculares que se manifestam clinicamente através de alterações no tamanho, forma e função do miocárdio após a agressão, sendo a insuficiência cardíaca (IC) o estágio final deste processo. A IC caracteriza-se por uma deficiente perfusão de sangue do coração para os demais tecidos do corpo. Isso é decorrente, em parte, pela presença da hipertrofia e de mudanças na matriz que acomete os cardiomiócitos, que diminuem sua atividade propulsora. Essas alterações na MEC, comumente encontradas na IC, são originadas, em parte, pela perturbação do equilíbrio entre a produção de metaloproteinases (MMPs) ativas e a sua inibição. Inibidores teciduais de metaloproteinases (TIMPs) são inibidores endógenos destas MMPs e, consequentemente, são reguladores importantes da renovação da ECM e da remodelação do tecido. O objetivo deste trabalho será avaliar aspectos estruturais e moleculares no músculo cardíaco durante a transição entre a disfunção e a IC, induzida por estenose aórtica (EAo). Serão utilizados 32 ratos Wistar machos (90 a 100g). Após 18 e 28 semanas da cirurgia de indução de EAo, animais controles (Sham) e com EAo serão submetidos ao ecocardiograma para avaliar a função ventricular e sacrificados para a coleta de amostras do ventrículo esquerdo, mais afetado pela IC, para as análises histoquímica e molecular. Para a análise histoquímica será realizada a coloração do Picrosirius para a morfologia e quantificação do colágeno da matriz extracelular. A análise da expressão gênica das MMPs 1, 2 e 9 e das TIMP 1 e 2 será realizada através do RT-qPCR. Os resultados poderão auxiliar na caracterização de genes e miRNAs expressos durante a transição entre a disfunção e a IC, e apontar miRNAs importantes na regulação de genes envolvidos com a progressão da IC.