Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de metabólitos produzidos por actinobactérias sobre a digestibilidade in vitro e fermentação ruminal

Processo: 14/08905-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Marcos Veiga dos Santos
Beneficiário:Bruna Gomes Alves
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Metabólitos   Actinobactéria   Digestibilidade   Fermentação ruminal   Nigericina   Dineínas   Valinomicina   Ionóforos   Vacas leiteiras

Resumo

Actinobactérias são microrganismos capazes de produzir compostos farmacologicamente ativos empregados como agentes antifúngicos, imunossupressores, antineoplásicos, anticancerígenos e também antibacterianos, dentre os quais a nigericina, a dinactina e a valinomicina apresentam feito ionóforo. A hipótese deste estudo é que estes metabólitos ativos produzidos por actinobactérias apresentem eficácia similar a da monensina sódica para modulação da fermentação ruminal e melhora da digestibilidade da matéria seca das dietas para vacas leiteiras. O objetivo deste estudo será avaliar o efeito da nigericina, dinactina e valinomicina, sobre a digestibilidade in vitro da matéria seca, potencial hidrogeniônico do líquido ruminal, concentração de ácidos graxos de cadeia curta e produção de gases. Serão coletados 100 mL de líquido de duas vacas da raça Holandesa alimentadas com dieta controle de silagem de milho e concentrado a base de farelo de soja, ureia, milho moído e suplemento mineral-vitamínico. Para tanto, serão realizadas duas fases, na primeira será avaliada a dose ótima de resposta de cada metabólito utilizado (nigericina, dinactina e valinomicina) em 4 doses (2,5; 5; 7,5 e 10 µM). Na segunda fase os metabólitos serão comparados entre si, ao controle negativo e ao controle positivo de 5 µM de monensina sódica nas doses ótimas de resposta encontradas na fase 1. Será feita fermentação in vitro em rúmen artificial (DAISY ll-ANKOM®). A partir de isolados de actinobactérias originárias de ambientes como eucalipto e mangue será realizada a micro extração de metabólitos ativos, os quais serão avaliados por espectrometria de massas. O delineamento adotado será o inteiramente casualizado (DIC) para ambas as fases. As variáveis respostas a serem avaliadas serão: pH, produção de gás, produção de ácidos graxos de cadeia curta, produção de nitrogênio amoniacal e digestibilidade in vitro da matéria seca, da proteína bruta e da fibra insolúvel em detergente neutro. Os resultados da fermentação ruminal in vitro serão avaliados como medidas repetidas no tempo pelo procedimento MIXED do SAS (2001). Espera-se com o presente estudo o desenvolvimento de novas alternativas da classe dos ionóforos frente à monensina sódica, o que possibilitaria a melhora da fermentação ruminal de vacas leiteiras. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ALVES, Bruna Gomes. Efeito de metabólitos produzidos por actinobactérias sobre a digestibilidade in vitro e fermentação ruminal. 2016. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.