Busca avançada
Ano de início
Entree

Hepatite C e uso de Interferon alfa: Um estudo qualitativo de vivências relatadas por pacientes ambulatoriais frente a eventuais efeitos colaterais

Processo: 14/03959-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Egberto Ribeiro Turato
Beneficiário:Isabela Dias Fahl
Instituição-sede: Hospital de Clínicas (HC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Psicologia médica   Adesão   Efeitos colaterais e reações adversas relacionados a medicamentos   Interferon alfa   Hepatite C

Resumo

A Hepatite C figura hoje como um problema de saúde pública, acometendo muitas pessoas e sendo responsável por significativo número de transplantes de fígado e óbitos. Os únicos tratamentos disponíveis atualmente têm como componente principal o Interferon alfa (IFN±), cujos efeitos colaterais podem ser de natureza psiquiátrica, como a depressão. Há de se ressaltar que tais efeitos colaterais figuram como uma das principais causas de suspensão do tratamento ou modificação da dose, o que pode afetar negativamente o prognóstico. Frente a esta realidade o presente projeto tem como objetivos: (a) Discutir significados psicológicos atribuídos especialmente ao tratamento com IFN± a em vigência dos efeitos colaterais e sua relação com a má/incompleta adesão ao tratamento medicamentoso para a forma crônica de Hepatite C, partindo do pressuposto elaborado pelos autores deste projeto de que os significados atribuídos ao tratamento durante a vivência de efeitos adversos se associariam aos fenômenos da descontinuação ou adesão incompleta ao tratamento com IFN±; (b) Discutir os significados psicológicos atribuídos a viver com Hepatite C, aos efeitos colaterais e à eventual necessidade/vontade da descontinuação do tratamento com IFNalfa em função do desconforto dos efeitos colaterais importantes partindo-se da hipótese por nós formulada de que a descontinuação ou a adesão incompleta ao tratamento em função de importantes efeitos colaterais aparecem associadas às vivências emocionais de medo ou de culpa. Para tanto, o método clínico-qualitativo será utilizado, sendo feito o uso da técnica de entrevista semidirigida, com questões abertas e a observação do entrevistado pelo entrevistador durante a entrevista para coleta de dados. O fechamento da amostra será feito pela técnica de saturação teórica. As entrevistas serão realizadas no Ambulatório de Hepatites do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Tais entrevistas serão gravadas e, posteriormente, transcritas integralmente. Para o estudo dos dados colhidos será utilizada a Análise Qualitativa de Conteúdo, fazendo-se leituras e releituras flutuantes das entrevistas, sucedidas por uma categorização em tópicos. Desta forma, objetiva-se encontrar trechos representativos das falas dos entrevistados que nos ajudem na compreensão da hipótese apresentada.