Busca avançada
Ano de início
Entree

A presença de pontos gatilhos miofasciais influência na atividade eletromiográfica dos músculos cervicais em pacientes com migrânea? estudo controlado

Processo: 14/13103-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 03 de novembro de 2014
Vigência (Término): 02 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Débora Bevilaqua Grossi
Beneficiário:Lidiane Lima Florencio
Supervisor no Exterior: César Fernández de las Peñas
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad Rey Juan Carlos, Alcorcón (URJC), Espanha  
Vinculado à bolsa:12/22245-2 - Avaliação da força máxima e do controle motor da coluna cervical pela dinamometria e pela eletromiografia de superfície em mulheres com migrânea e migrânea crônica: estudo controlado, BP.DR
Assunto(s):Eletromiografia   Fisioterapia

Resumo

Introdução: a associação entre a migrânea, cervicalgia, incapacidade relacionada à cervicalgia e pontos gatilhos vem sendo relatada na última década. No entanto, as repercussões dessas associações no controle motor da musculatura do pescoço e na geração de força ainda não foi muito bem investigada. Objetivo: comparar a atividade eletromiográfica dos músculos do pescoço durante o cranio-cervical flexion test (CCFT) de migranosos e de voluntárias sem cefaleia e investigar se a presença de pontos gatilhos influencia a atividade muscular nesse teste. A hipótese é que pacientes com migrânea, comparados a um grupo controle, irá apresentar maior atividade da musculatura flexora superficial durante o CCFT, uma coativação desproporcional de músculos antagonistas e que a presença de pontos gatilhos irá se correlacionar diretamente com esses achados. Métodos: Serão avaliadas a frequência, intensidade e duração da migrânea e da cervicalgia e a presença de pontos gatilhos em 20 pacientes com migrânea e 20 voluntários sem cefaleia . Os sujeitos realizarão o CCFT e a contração voluntária máxima de flexão e extensão da cabeça. Simultaneamente a essas atividades, será registrada a atividade eletromiográfica dos músculos esternocleidomastoideo, escaleno anterior, semiespinhal da cabeça e esplênio da cabeça. Resultados esperados: nossa expectativa é que os resultados obtidos com essa investigação promovam um conhecimento mais específico sobre a associação entre migrânea e coluna cervical, o que poderá fundamentar algumas intervenções fisioterapêuticas. (AU)