Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade biológica de células apresentadoras de antígeno em gestações normais e com pré-eclâmpsia

Processo: 14/01925-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Maria Laura Costa Do Nascimento
Beneficiário:Maria Laura Costa Do Nascimento
Anfitrião: Donald Michael Nelson
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Washington, Estados Unidos  
Assunto(s):Obstetrícia   Pré-eclâmpsia   Gravidez   Membrana basal   Placenta   Células dendríticas

Resumo

Introdução A interação materno-fetal e os possíveis mecanismos imunológicos de tolerância envolvidos na supressão e na expressão de determinadas respostas durante a gravidez ainda são pouco explorados. A membrana basal da placenta humana é a porção de tecido materno em contato mais íntimo com tecido fetal e parece estar repleta de células de origem imune (imunidade inata e adquirida). As principais células efetoras da imunidade inata são as apresentadoras de antígeno (APCs): macrófagos e células dendríticas, além de neutrófilos, e células Natural Killer - NK. Fagocitose, liberação de mediadores inflamatórios, ativação de proteínas do sistema complemento, bem como síntese de proteínas de fase aguda, citocinas e quimiocinas estão entre os mecanismos principais da imunidade inata. Em contraposição, a resposta imune adaptativa depende da ativação de células especializadas, os linfócitos, com características de: especificidade de reconhecimento, memória, especialização de resposta, autolimitação e tolerância a componentes do próprio organismo. Embora as principais células envolvidas na resposta imune adquirida sejam os linfócitos, as APCs desempenham papel fundamental em sua ativação, apresentando antígenos associados a moléculas do complexo de histocompatibilidade principal (MHC) para os linfócitos T. A caracterização precisa das APCs na membrana basal de gestações de termo é ainda pouco explorada e talvez possa explicar muito sobre a imunologia da gestação e também sobre o desenvolvimento de condições patológicas; como a pré-eclâmpsia (PE). A PE, caracterizada por hipertensão e proteinúria ou disfunção orgânica, em gestações acima de 20 semanas, é uma das mais significativas causas de morbidade e mortalidade materna e perinatal em todo o mundo, em especial nos países em desenvolvimento. Sua etiologia continua desconhecida, provavelmente multifatorial, com clara influência imunológica. Qualquer avanço na elucidação dos mecanismos envolvidos na PE pode trazer possibilidades para melhor abordagem terapêutica futura. Objetivos: Identificar a localização e caracterizar o perfil secretório de células apresentadoras de antígeno (APCs) na membrana basal placentária de gestações de baixo risco e gestações complicadas por pré-eclâmpsia. Materiais e método/Resultados: estudo caso-controle, com pareamento segundo o tipo de parto (vaginal ou cesárea) e idade gestacional entre as gestações de baixo risco e as complicadas por PE, atendidas na maternidade da Washington University, MO, EUA. O tamanho amostral é de 15 placentas para cada grupo. Serão coletados dados demográficos, clínicos e obstétricos de todos os sujeitos da pesquisa. Será obtida amostra sistemática destas placentas (membrana basal), identificação e caracterização fenotípica de células apresentadoras de antígeno (APC), através de imunohistoquímica com anticorpos específicos (como: DC-SIGN+, CD68+, DC-LAMP, DEC-205) e posterior caracterização funcional dos subtipos de APCs na membrana basal, através da identificação de tipos celulares, purificação e cultura de células e estímulos via receptores específicos sobre as células isoladas, avaliando a expressão de IL-10, IL-1², IL-6, TNF-±, IL-12, IL-23, óxido nítrico, além da via de receptores inibitórios e de apoptose, como PD1/PD1L; por citometria de fluxo (FACs). Por fim, será desenvolvido um estudo molecular, para avaliação de expressão gênica global dos principais tipos celulares identificados. Os resultados e diferenças para os grupos na avaliação morfométrica e ensaios de expressão de citocinas serão avaliados por ANOVA com o teste de Tukey para múltiplas comparações. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COSTA, MARIA LAURA; ROBINETTE, MICHELLE L.; BUGATTI, MATTIA; LONGTINE, MARK S.; COLVIN, BRYANNE N.; LANTELME, ERICA; VERMI, WILLIAM; COLONNA, MARCO; NELSON, D. MICHAEL; CELLA, MARINA. Two Distinct Myeloid Subsets at the Term Human Fetal-Maternal-Interface. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 8, OCT 25 2017. Citações Web of Science: 2.
COLVIN, BRYANNE N.; LONGTINE, MARK S.; CHEN, BAOSHENG; COSTA, MARIA LAURA; NELSON, D. MICHAEL. Oleate attenuates palmitate-induced endoplasmic reticulum stress and apoptosis in placental trophoblasts. Reproduction, v. 153, n. 4, p. 369-380, APR 2017. Citações Web of Science: 5.
CHEN, BAOSHENG; LONGTINE, MARK S.; COSTA, MARIA LAURA; NELSON, D. MICHAEL. Punicalagin promotes human villous trophoblast differentiation. Placenta, v. 44, p. 80-82, AUG 2016. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.