Busca avançada
Ano de início
Entree

Comprimento e elevação clavicular e discinesia escapular em indivíduos assintomáticos para dor no ombro

Processo: 14/08446-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Paula Rezende Camargo
Beneficiário:Ana Letícia Lozana
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Clavícula   Biomecânica   Escápula   Ombro

Resumo

Introdução: Há evidências de que a diminuição do comprimento da clavículapodealterar a cinemática escapular,desencadeando aumento da rotação interna e da inclinação anterior e diminuição da rotação superior da escápula. Além disso, o encurtamento clavicular também pode estar relacionado com o aumento da elevação da clavícula. Essas alterações podem favorecer o surgimento da discinesia escapular e de lesões no complexo do ombro. Contudo, não foram encontrados estudos in vivo analisando as variáveis acima por meio de métodos voltados para prática clínica, o que poderá contribuir para a avaliação e tratamento de casos que envolvam o encurtamento clavicular. Objetivo:Verificar a existência de uma possível correlação entre o comprimento da clavícula e a elevação clavicular, e entre o comprimento da clavícula e a presença de discinesia escapular em indivíduos assintomáticos para dor no ombro e também analisar o comprimento e elevação da clavícula entre os lados dominante e não-dominante, e a confiabilidade entre-avaliadores para essas medidas. Metodologia: Participarão deste estudo 50 adultos saudáveis (25 a 50 anos) de ambos os gêneros, sem históricos de patologias no ombro ou cervical.Serão avaliados o comprimento clavicular através de um paquímetro, a elevação clavicular através de um inclinômetro digital e a discinesia escapular através de observação clínica dos movimentos.As avaliações serão realizadas por duas fisioterapeutas.A análise estatística dependerá da normalidade dos dados que será avaliado por meio do teste Shapiro-Wilk, com nível de significância alfa de 5%.