Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biomarcadores de ecotoxicidade no anfípoda marinho Parhyale hawaiensis e avaliação da toxicidade de nanomateriais

Processo: 14/08829-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Gisela de Aragão Umbuzeiro
Beneficiário:Mariana Coletty Artal
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecotoxicologia marinha   Expressão gênica   Materiais nanoestruturados

Resumo

Para proteger os ecossistemas dos efeitos adversos de poluentes, é importante utilizar testes padronizados em laboratório com organismos representativos dos ambientes que se deseja preservar. Os ecossistemas marinhos e estuarinos ainda necessitam de organismos teste sensíveis e de fácil cultivo e manuseio. A partir de um modelo, é possível estabelecer métodos para a avaliação da toxicidade em laboratório e em campo, assim como desenvolver ferramentas mais sensíveis como biomarcadores de exposição. A incorporação de nanomateriais em produtos das mais variadas áreas, torna esses materiais de interesse também na ecotoxicologia porém sua avaliação tem sido um desafio sendo necessárias ferramentas apropriadas. O anfípoda Parhyale hawaiensis surge como um modelo promissor para estudos ecotoxicológicos, pois é abundante, representativo de ecossistemas estuarinos de zonas tropicais e possui literatura sobre sua biologia e genética. Objetiva-se nesse trabalho desenvolver e padronizar procedimentos para cultivo em laboratório, condições de teste com endpoints de mortalidade e reprodução, e expressão gênica como, por exemplo, metalotioneínas. Experimentos serão realizados para estabelecer as melhores condições de cultivo e exposição, como idade e tamanho dos organismos a serem utilizados, para, posteriormente, estabelecer procedimentos e desenvolver análises de expressão gênica em P. hawaiensis que serão conduzidos em parceria com Universidade Heriot-Watt em Edimburgo, Escócia. Nos ensaios de ecotoxicidade serão utilizados como substâncias de referência zinco, cobre e prata. Com os procedimentos estabelecidos pretende-se testar a toxicidade de nanoparticulas de prata e cobre, já caracterizadas, via dieta, provendo informações importantes sobre a toxicidade de nanomateriais em organismos estuarinos contribuindo para a ainda escassa literatura nessa área. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ARTAL, MARIANA COLETTY; PEREIRA, KARINA DANIELLE; LUCHESSI, AUGUSTO DUCATI; OKURA, VAGNER KATSUMI; HENRY, THEODORE BURDICK; MARQUES-SOUZA, HENRIQUE; UMBUZEIRO, GISELA DE ARAGAO. Transcriptome analysis in Parhyale hawaiensis reveal sex-specific responses to AgNP and AgCl exposure. Environmental Pollution, v. 260, MAY 2020. Citações Web of Science: 1.
VACCHI, I, FRANCINE; DOS SANTOS, AMANDA; ARTAL, MARIANA C.; MAGALHAES, GABRIEL R.; DE SOUZA VENDEMIATTI, JOSIANE A.; UMBUZEIRO, GISELA DE ARAGAO. Parhyale hawaiensis as a promising alternative organism for monitoring acute toxicity of sediments under the influence of submarine outfalls. Marine Pollution Bulletin, v. 149, DEC 2019. Citações Web of Science: 0.
ARTAL, MARIANA COLETTY; DOS SANTOS, AMANDA; HENRY, THEODORE BURDICK; UMBUZEIRO, GISELA DE ARAGAO. Development of an acute toxicity test with the tropical marine amphipod Parhyale hawaiensis. ECOTOXICOLOGY, v. 27, n. 2, p. 103-108, MAR 2018. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.