Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise tridimensional das vias aéreas superiores de pacientes com fissura labiopalatina e discrepância maxilomandibular

Processo: 14/12574-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Ivy Kiemle Trindade Suedam
Beneficiário:Thiago Freire Lima
Supervisor no Exterior: Luiz André Freire Pimenta
Instituição-sede: Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of North Carolina at Chapel Hill (UNC), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/24524-9 - Análise tridimensional das vias aéreas superiores de pacientes com fissura labiopalatina e discrepância maxilomandibular, BP.MS
Assunto(s):Faringe   Fissura palatina   Tomografia computadorizada de feixe cônico   Fisiologia

Resumo

As fissuras labiopalatinas (FLP) são as malformações congênitas de maior prevalência na espécie humana. O fechamento cirúrgico do lábio e do palato, que visa restaurar a forma e a função, paradoxalmente, impactam negativamente sobre o crescimento maxilar e, consequentemente, sobre a morfofisiologia nasal, levando à deformidades como desvio de septo e hipertrofia das conchas. Estas alterações reduzem as dimensões internas da cavidade nasal e aumentam a resistência ao fluxo aéreo respiratório. Partindo do pressuposto que, à semelhança da cavidade nasal, o volume faríngeo desta população encontra-se provavelmente reduzido, é objetivo do presente estudo avaliar tridimensionalmente o espaço aéreo faríngeo dos pacientes com FLP por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico. Para tanto, serão avaliados dois grupos: 1) Grupo Controle: 30 tomografias de pacientes sem FLP e com discrepância maxilomandibular do tipo classe III de Angle, e, 2) Grupo Fissura: 30 tomografias de pacientes com FLP unilateral e com discrepância maxilomandibular do tipo classe III de Angle. As tomografias serão obtidas no banco de dados do HRAC e de uma clínica de cirurgia bucomaxilofacial da cidade de Bauru, e serão avaliadas retrospectivamente, por meio do software Dolphin Imaging 11.0, o qual, a partir da demarcação de pontos anatômicos que delimitam a região faríngea é capaz de reformatar o volume (mm3) e determinar a área de maior constricção da faringe (mm2). Desta forma, espera-se encontrar como resultados valores de volume e aérea faríngeos reduzidos para o paciente FLP, em relação aos pacientes sem fissura. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.