Busca avançada
Ano de início
Entree

Ocupação da paisagem pelo tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) em um remanescente de cerrado com diferentes níveis de perturbação no Nordeste do Estado de São Paulo

Processo: 14/15269-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 29 de outubro de 2014
Vigência (Término): 27 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Adriano Garcia Chiarello
Beneficiário:Natalia Fraguas Versiani
Supervisor no Exterior: Larissa L. Bailey
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Colorado State University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/23421-6 - Ocupação da paisagem pelo tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) em áreas de cerrado com diferentes níveis de perturbação no nordeste paulista, BP.DR

Resumo

O grande declínio das vegetações nativas de Cerrado no estado de São Paulo resultou em uma paisagem altamente fragmentada, imersa em um cenário onde predominam grandes monoculturas de cana-de-açúcar, pastagens e silviculturas. Com isso, a perda de habitat se tornou um dos principais fatores para o declínio populacional, principalmente para espécies como o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), que apresenta grande demanda por espaço, baixa densidade populacional e alimentação altamente especializada. O táxon está presente em quase todas as listas de espécies ameaçadas regionais e nacionais da América Central e do Sul e, portanto, é importante saber como essa espécie dependente em maior grau de ambientes naturais está sobrevivendo nestas paisagens fortemente alteradas. O presente trabalho tem como objetivo principal determinar a probabilidade de ocupação da paisagem pelo tamanduá-bandeira em remanescentes de Cerrado e identificar quais as covariáveis ambientais estão influenciando essa ocupação. Os dados de cerca de 200 estações de armadilhas fotográficas, coletados em três paisagens da região de estudo, entre 2013 e 2014 serão analisados pelos programas PRESENCE e MARK. Eu irei modelar a influência de covariáveis climáticas e paisagísticas da ocupação, e ao mesmo tempo controlar a variabilidade de detecção. O projeto irá lançar luz sobre o processo ecológico direcionando a capacidade de sobrevivência deste mamífero emblemático em zonas onde a agricultura intensiva e silvicultura são predominantes. (AU)