Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação do estresse crônico sobre efeitos metabólicos e o conteúdo de glicogênio e a expressão de GLUT4 no coração de ratos

Processo: 14/14744-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Fernanda Klein Marcondes
Beneficiário:Maeline Santos Morais Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos, AP.TEM
Assunto(s):Coração   Fisiologia cardiovascular   Estresse crônico   Lipídeos   Glicogênio   Glicose

Resumo

O estresse crônico é um importante fator de risco para doenças cardiometabólicas, como a hiperglicemia, resistência à insulina, dislipidemias e até mesmo o diabetes. Sabe-se que em casos de diabetes, ocorrem alterações na utilização dos substratos energéticos de todos os tecidos (em decorrência da ação deficiente da insulina), o que reduz a utilização de glicose, dificulta a ação de transportadores específicos de glicose 4 (GLUT 4) no tecido muscular esquelético e cardíaco e aumenta a disponibilidade de ácidos graxos. Além disso, a mudança da utilização do substrato energético cardíaco causa aumento na reserva de glicogênio intracelular. O aumento da liberação de ácidos graxos pelos adipócitos e pelo fígado resulta em elevada circulação de ácidos graxos e triglicerídeos, sendo este, o maior fator envolvido na elevada oxidação e captação de ácidos graxos nos cardiomiócitos. Em situações nas quais a disponibilidade de ácidos graxos excede a capacidade oxidativa celular, ocorre acúmulo de triglicerídeos intracelular, o que está associado à lipotoxicidade cardíaca. Apesar destes mecanismos estarem bem estabelecidos em situações de hiperglicemia crônica, diabetes e/ou com tratamento de glicocorticóides, ainda não está estabelecido se estas alterações também acontecem em tecido cardíaco de animais estressados cronicamente. Em situações de estresse também há redirecionamento dos substratos energéticos e a elevação mantida dos níveis de glicocorticoides prejudica a ação da insulina, interfere na atividade dos transportadores GLUT 4 em cardiomiócitos, e estimula da gliconeogênese, aumentando o metabolismo lipolítico e a liberação de ácidos graxos. Sendo assim, o objetivo deste estudo será avaliar o efeito do estresse crônico moderado e imprevisível sobre o conteúdo de glicogênio e a expressão de GLUT4 no coração de ratos. (AU)