Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do exercício físico e da restrição calórica na lesão renal aguda induzida pela cisplatina

Processo: 13/06207-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Ronaldo de Carvalho Araújo
Beneficiário:Gabriel Rufino Estrela
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Inflamação   Cisplatino   Exercício físico   Lesão renal aguda   Nefrotoxicidade   Restrição calórica

Resumo

A cisplatina é um dos agentes antitumorais mais usados em quimioterapia, entretanto a nefrotoxicidade é frequente e é uma das limitações para o seu uso. Há vários mecanismos que contribuem para a disfunção renal após a exposição à cisplatina: toxicidade tubular direta induzindo apoptose, necrose e inflamação. Após a exposição a cisplatina há um aumento da migração de células do sistema imune e da liberação de citocinas pró-inflamatórias no tecido renal como o TNF-± que é o principal mediador da lesão renal aguda, induzindo apoptose, necrose e coordenando a ativação de várias citocinas e quimiocinas. Sabe-se que o clearence da cisplatina é dependente principalmente dos transportadores orgânicos, o OCT-2 responsável pelo transporte de cisplatina para dentro da célula epitelial renal e o MATE-1 que é responsável pela extrusão da droga da célula renal. A ausência do MATE-1 causa um aumento na concentração intracelular de cisplatina ocasionando maior nefrotoxicidade. Vários trabalhos mostram que tanto o exercício físico como a restrição calórica são ótimas ferramentas para atenuar a resposta inflamatória, diminuindo apoptose, expressão de citocinas, produção de espécies reativas de oxigênio, aumento de antioxidantes e mediadores anti-inflamatórios e anti-apoptóticos. Já está bem estabelecido o papel protetor dessas intervenções em afecções cardiovasculares, renais e cognitivas como isquemia e reperfusão cardíaca, renal e hipotálamica. Tendo em vista que tanto o exercício físico quanto a restrição calórica são capazes de atenuar processos inflamatórios renais, o objetivo desse trabalho é investigar se o exercício físico e a restrição calórica individualmente, e combinados são uma boa alternativa de prevenção da lesão renal aguda induzida pela cisplatina e também investigar se há participação dos transportadores orgânicos nesse processo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ESTRELA, GABRIEL R.; WASINSKI, FREDERICK; FELIZARDO, RAPHAEL J. F.; SOUZA, LAURA L.; CAMARA, NIELS O. S.; BADER, MICHAEL; ARAUJO, RONALDO C. MATE-1 modulation by kinin B1 receptor enhances cisplatin efflux from renal cells. Molecular and Cellular Biochemistry, v. 428, n. 1-2, p. 101-108, APR 2017. Citações Web of Science: 3.
ESTRELA, GABRIEL R.; WASINSKI, FREDERICK; BATISTA, ROGERIO O.; HIYANE, MEIRE I.; FELIZARDO, RAPHAEL J. F.; CUNHA, FLAVIA; DE ALMEIDA, DANILO C.; MALHEIROS, DENISE M. A. C.; CAMARA, NIELS O. S.; BARROS, CARLOS C.; BADER, MICHAEL; ARAUJO, RONALDO C. Caloric Restriction Is More Efficient than Physical Exercise to Protect from Cisplatin Nephrotoxicity via PPAR-Alpha Activation. FRONTIERS IN PHYSIOLOGY, v. 8, MAR 2 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.