Busca avançada
Ano de início
Entree

Yes-Associated-Protein 1 em tumores adrenocorticais

Processo: 13/21653-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Sonir Roberto Rauber Antonini
Beneficiário:Rafael Haikal Abduch
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia pediátrica   Carcinoma adrenocortical   Proteínas Wnt   beta Catenina   Transformação celular neoplásica   Western blotting   Imuno-histoquímica

Resumo

A etiopatogênese molecular dos tumores adrenocorticais (TAC) é conhecida parcialmente. O gene Yes-Associated-Protein 1 é um conhecido oncogene e encontra-se hiperexpresso em grande parte dos tumores mais frequentes no ser humano. Além disso, YAP1 interage diretamente com a via Wnt/beta-catenina e com a via SHH, frequentemente envolvidas nos processos de tumorigênese em geral e mais recentemente associadas à tumorigênese adrenocortical. Por estas razões, é possível que anormalidades na expressão e função do YAP1 contribuam na tumorigênese adrenocortical. Objetivos: Avaliar a expressão do gene YAP1 e sua interação com a via Wnt/beta-catenina em TAC adultos e pediátricos. Materiais e Métodos: Avaliar-se-á a expressão do gene YAP1 e da proteína YAP1 em tecidos adrenais normais (controles) e em TAC de pacientes adultos e pediátricos por meio de qPCR (Taqman), imunohistoquímica e Western blot. Também será avaliada a expressão de YAP1 nas linhagens celulares de TAC H295A e SW-13 antes e após o tratamento com PNU-74654 (antagonista do complexo TCF/beta-catenina) para se avaliar a interação entre YAP1 e a via Wnt/beta-catenina. Perspectivas: É possível que a expressão de YAP1 esteja alterada em TAC, tendo papel importante na tumorigênese adrenocortical. Os resultados desse estudo podem contribuir para o melhor esclarecimento da etiopatogênese desses tumores e podem viabilizar, futuramente, o desenvolvimento de novas terapias.