Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biopesticida a base de fungos por fermentação líquida

Processo: 14/13758-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Vanessa da Silveira Duarte
Beneficiário:Bianca Corrêa
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Fungos entomopatogênicos   Controle microbiano   Mosca-branca

Resumo

Insetos sugadores, como a mosca-branca, têm causados grandes danos diretos e indiretos em diversas culturas agrícolas. No caso da mosca-branca isso se deve a sua grande plasticidade fenotípica e também ao amplo espectro de plantas hospedeiras. Sistemas convencionais de manejo fitossanitário geram impacto negativo sobre os inimigos naturais e aceleram a evolução da resistência em populações de artrópodes pragas, devido ao desequilíbrio biológico do sistema. A pressão da sociedade por práticas agrícolas ambientalmente sustentáveis vem estimulando o desenvolvimento de táticas de controle para essa praga com biopesticidas à base de fungos entomopatogênicos como parte de programas de Manejo Integrado de Pragas. Consequentemente, a utilização desses agentes de biocontrole assume papel central na redução da dependência de agrotóxicos e na mitigação dos problemas de resistência relacionados a mosca-branca. Os fungos mais promissores para o controle biológico de moscas-brancas são Beauveria bassiana senso latu (s.l.), Lecanicillium spp. e Isaria fumosorosea, pois apresentam alta virulência e são facilmente produzidos em grandes quantidades em meios artificiais, o que viabiliza a aplicação em campo. Não existem bioinseticidas comerciais à base de blastosporos fúngicos no Brasil, sendo que as biofábricas que produzem esses agentes de biocontrole produzem e comercializam conídios aéreos usando o método de fermentação sólida com substrato à base de cereal, especialmente o arroz. Entretanto, com a fermentação líquida é possível produzir grandes quantidades de blastosporos, fases leveduriformes, microescleródios ou conídios submersos num curto intervalo de tempo (< 4 dias), em pequeno espaço físico e com baixa dependência de mão-de-obra em relação ao método de fermentação sólida, este método ainda permite um controle de qualidade superior o que facilita a comercialização de propágulos com qualidade padronizada. Com o intuito de avançar no conhecimento destas tecnologias, no presente projeto se propõe a estudar estratégias de produção, estabilização e formulação de propágulos de fungos, usando isolados de Lecanicillum spp. para o controle da mosca-branca.