Busca avançada
Ano de início
Entree

Constrangimentos domésticos à política comercial dos Estados Unidos durante a administração Clinton (1993-2000)

Processo: 14/07558-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Ferreira de Carvalho
Beneficiário:Rodrigo Fagundes Cézar
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Política comercial   Relações internacionais

Resumo

Essa pesquisa visa analisar os constrangimentos domésticos à adoção de políticas de liberalização comercial por parte do governo dos EUA durante a administração de Bill Clinton e as iniciativas do Presidente e do United States Trade Representative (USTR) para barganhar e formar coalizões com o objetivo de se ajustar a esses obstáculos. A política comercial dos EUA durante a administração de Bill Clinton foi marcada pela dificuldade de liberalização comercial a partir, principalmente, do momento em que o Partido Republicano ganhou maioria no Congresso. A literatura que trata do período como um todo deixa lacunas, principalmente no que diz respeito à participação do Executivo no processo de barganha doméstica. Faz-se uma narrativa analítica com ênfase em três casos: o NAFTA (1993), o entrave no processo de aprovação do fast track (1997) e a normalização das relações comerciais dos Estados Unidos com a China (1999). Pretende-se explorar as preferências domésticas dos atores sociais e governamentais e empregar um quadro teórico que faça uso da literatura de análise de política externa e economia política internacional para analisar o processo de barganha doméstico. Espera-se assim, compreender a dificuldade de aprovação de política comercial nos EUA durante os anos 90 e colaborar para o entendimento do processo de barganha e negociação doméstica que é a base das contribuições mais recentes das teorias de Relações Internacionais.