Busca avançada
Ano de início
Entree

Jules Martin e a cultura litográfica: trânsito de saberes Paris/Marselha/São Paulo, 1850-1900

Processo: 14/11349-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Iara Lis Franco Schiavinatto
Beneficiário:Mateus Pavan de Moura Leite
Supervisor no Exterior: Mônica Raisa Schpun
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), França  
Vinculado à bolsa:13/21903-9 - São Paulo gravada em pedra: Jules Martin e a cultura visual da cidade, BP.MS
Assunto(s):São Paulo (SP)   Cultura visual   Litografia (gravura)

Resumo

A pesquisa em andamento trabalha com o conjunto de imagens produzidas pelo litógrafo francês Jules Martin na São Paulo do final do século XIX. Idealizador do Viaduto do Chá, ele fundou em 1870 uma das primeiras oficinas litográficas da província de São Paulo. Trabalha-se atualmente com o levantamento do material esparsamente arquivado e elabora-se um catálogo iconográfico, visando nuançar a produção e a circulação das suas obras, sob a hipótese de que Martin foi um principais produtores de imagens de uma sociedade marcada por mudanças urbanas. Diante deste corpo de desenhos, indaga-se quanto às formas pelas quais a cidade foi representada e procura indicar como o autor lidou com a modernização da província. Para tanto, é preciso que a pesquisa delimite melhor o lugar social do litógrafo naquele contexto e problematizar como suas imagens atuaram em relação aos modos de ver a cidade daquele momento histórico. Neste sentido, a pesquisa presencial na França busca compreender a sua formação como litógrafo, inscrevendo-a dentro de uma tradição francesa de ensino de desenho e artes aplicadas, assim como perceber como o modo de atuação e as imagens do litógrafo fazem parte de um contexto global no qual a França ocupa um papel fundamental, pela sua capacidade de produzir motivos visuais e pelo desenvolvimento da técnica no país. Serão investigadas a formação de Martin na École des Beaux-Arts de Marseille e a sua atuação profissional antes de vir ao Brasil, com base nas pistas encontradas nas fontes trabalhadas, assim como procurará por imagens de sua autoria e pelos diálogos com a França enquanto estabelecido em São Paulo. Explora, neste sentido, o acervo litográfico francês buscando por outras publicações gráficas de temáticas e finalidades próximas das produzidas por Martin com o objetivo de comparar os elementos visuais e os tratamentos dados aos assuntos representados. (AU)