Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização e avaliação da capacidade protetora dos peptídeos imunogênicos de Sporothrix brasiliensis

Processo: 14/08175-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Sandro Rogerio de Almeida
Beneficiário:José Roberto Fogaça de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Micologia   Esporotricose   Proteômica   Sporothrix

Resumo

A esporotricose é uma doença crônica, que envolve o tecido subcutâneo afetando seres humanos e animais. Esta micose sempre foi atribuída a um único patógeno, um fungo termodimórfico denominado Sporothrix schenckii. Recentemente foi demonstrado que isolados identificados como S. schenckii apresentavam grande variabilidade genética, sugerindo um complexo Sporothrix. Desse modo foi identificado S. brasiliensis, que foi diagnosticada como o principal agente etiológico no primeiro surto de esporotricose felina e humana no Rio de Janeiro. Pesquisas demonstraram que S. brasiliensis é mais virulento, causando formas mais severas da doença, que o S. schenckii. Nos demonstramos que o anticorpo monoclonal contra uma glicoproteína de 70-kDa (gp70), principal antígeno do fungo, teve caráter protetor na esporotricose experimental por cepas de S. schenckii. Porém não foi observada a presença dessa glicoproteína na parede das cepas de S. brasiliensis. A resposta imunológica do hospedeiro tem um papel determinante na evolução da esporotricose. Terapias biológicas que estimulem o sistema imune podem ter grande importância no controle da doença. Este trabalho visa mapear os peptídeos imunogênicos, através das proteínas imunorreativas da cepa de S. brasiliensis 5110. A resposta imunológica induzida por esses peptídeos será avaliada através de tratamentos profiláticos e terapêuticos na esporotricose experimental. (AU)