Busca avançada
Ano de início
Entree

Morfologia do crânio de Lemuriformes (Primates: Strepsirrhini)

Processo: 14/15116-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Quantitativa
Pesquisador responsável:Gabriel Henrique Marroig Zambonato
Beneficiário:Anna Paula Casselli Penna
Supervisor no Exterior: Sébastien Couette
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : École Pratique des Hautes Études (EPHE), França  
Vinculado à bolsa:13/06577-8 - Integração morfológica no crânio de Lemuriformes (Primates: Strepsirrhini), BP.MS
Assunto(s):Morfometria

Resumo

Durante o desenvolvimento de meu projeto de mestrado busco estudar os processos que levaram à grande diversidade morfológica de primatas da ilha de Madagascar, testando os efeitos de deriva genética e seleção. Uma maneira de abordar esta questão está fundamentada em predições da teoria de genética quantitativa, a partir da comparação do padrão e magnitude de integração entre os elementos de uma estrutura complexa como o crânio de mamíferos.A estrutura de variação dentro de uma população está diretamente relacionada à variaçao entre espécies divergentes. A teoria da genética quantitativa dispõe de algumas expectativas para a evolução morfológica em um clado monofilético, onde caso deriva genética tenha sido o principal processo atuando na diversificação espera-se que os padrões de integração dentro e entre os grupos devam ser proporcionais. Dessa forma, o prncipal objetivo de minha pesquisa é executar o teste multivariado da hipótese nula de deriva genética como o principal processo atuando na diversificação do crânio dos principais generos de primatas de Madagascar.Matrizes de V/CV são uma ferramenta útil para dispor o total de variação multivariada observada e matrizes de grande dimensões devem ser estimadas a partir de elevados tamanhos amostrais. O acesso às principais coleçoes museológicas Europeias será de enorme valia para a coleta de dados morfológicos e obrigatório para completar os tamanhos amosntrais necessários para estimativa de matrizes, uma vez que coleções brasileiras não apresentam quaisquer preparações do grupo em questão. Durante minha estadia estarei sob a supervisão do Dr. Sébastien Couette, e terei acesso a tres das maiores coleções europeias, o Museum Nattionel d'Histoire Natturele - Paris, o Rijksmuseum van Natuurlijke Historie - Leiden e o British Museum National History -London. (AU)