Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do canabidiol na regeneração nervosa após o esmagamento do nervo isquiático em camundongos adultos

Processo: 14/13126-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Beneficiário:Elisa Ribeiro Miranda Antunes
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Canabidiol   Receptores de canabinóides   Regeneração nervosa   Fármacos neuroprotetores

Resumo

O sistema nervoso é muito sensível ao trauma e sua capacidade regenerativa é um processo complexo e limitado. Assim, principalmente durante a fase adulta, o reparo tecidual não ocorre ou ocorre de forma incompleta, resultando em danos irreversíveis associados a limitações funcionais. O esmagamento de nervos periféricos é um evento relativamente comum em acidentes de alta energia, tendo-se em vista o trajeto superficial de alguns deles. Essa injúria desencadeia inúmeras respostas nos neurônios axotomizados, que passam de um estado de transmissão sináptica para um estado de regeneração. Assim, a fim de evitar que tais alterações resultem em morte neuronal, várias substâncias com potencial neuroprotetor têm sido estudadas. Um exemplo é o canabidiol (CBD), cujo efeito parece ser mediado pelos receptores CB1 e CB2, que fazem parte do sistema endocanabinóide. Desta maneira, tais receptores, assim como o próprio sistema endocanabinóide, tornam-se alvos para novos estudos. O presente trabalho tem como objetivo investigar o potencial neuroprotetor e regenerativo do canabidiol e sua possível ação através de receptores canabinóides. Para isso, serão utilizados camundongos C57BL/6J, divididos em cinco grupos experimentais: 1) esmagamento do nervo isquiático e tratamento com canabidiol (15mg/Kg, grupo CBD); 2) esmagamento do nervo isquiático e tratamento veículo (grupo PB); 3) esmagamento do nervo isquiático e tratamento com CBD + antagonista de receptor CB1 (grupo CBD+anti-CB1); 4) esmagamento do nervo isquiático e tratamento com CBD + antagonista de receptor CB2 (grupo CBD + anti-CB2) e 5) esmagamento do nervo e tratamento com CBD + antagonista de receptores CB1 e CB2 (grupo CBD + anti-CB1/CB2). Para avaliar a expressão dos receptores CB1 e CB2 bem como o elongamento axonal (expressão de GAP43) utilizaremos a técnica de imunoistoquímica. Para a avaliação funcional da marcha, utilizaremos o "walking track test" sistema Catwalk). (AU)