Busca avançada
Ano de início
Entree

Peptídeos quiméricos neutralizantes da citotoxicidade causada pela toxina Stx2 produzida por Escherichia coli

Processo: 14/03529-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 07 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Tomomasa Yano
Beneficiário:Robert Alvin Bernedo Navarro
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/22937-0 - Identificação de Nanocorpos neutralizantes da Toxina de Shiga 2 a partir de bibliotecas imunes de phage display, BE.EP.PD
Assunto(s):Escherichia coli   Phage display

Resumo

Escherichia coli produtora de toxinas de Shiga (STEC) é um grupo de patógenos intestinais causadores de doenças em humanos tais como diarréias, colite hemorrágica e síndrome urêmica hemolítica. O fator de virulência que define as cepas STEC é a produção de potentes citotoxinas inibidoras da síntese protéica, denominadas toxinas de Shiga (Stx). Recentemente, nosso grupo de pesquisa descreveu o desenvolvimento de peptídeos neutralizantes da citotoxicidade causada pelas toxinas Stx1 e Stx2. Nosso grupo também demonstrou que a utilização do receptor Gb3 como alvo para o screening de bibliotecas de bibliotecas de Phage Display é uma alternativa promissória na busca de moléculas neutralizantes da citotoxicidade induzida por Stx. Foram descritos três peptídeos com potencial neutralizante da citotoxicidade induzida por Stx in vitro. Em ensaios com camundongos um dos peptídeos inibiu a letalidade causada por Stx1, no entanto, nenhum dos peptídeos descritos inibiu a letalidade induzida por Stx2. A toxina Stx2 tem sido associada com maior frequência aos quadros clínicos mais severos em humanos. As toxinas Stx estão formadas por uma subunidade A (StxA) com atividade enzimática e cinco subunidades idênticas B (StxB) envolvidas na ligação de Stx ao receptor Gb3. Na ausência da subunidade StxA, o pentâmero StxB adota uma estrutura que é funcionalmente equivalente à toxina completa na ligação ao receptor Gb3. Devido a esses motivos, o objetivo do presente projeto é desenvolver peptídeos quiméricos bivalentes com potencial neutralizante da citotoxicidade causada pela toxina Stx2 e que se ligam tanto ao receptor Gb3 quanto á subunidade Stx2B. Para a identificação dos peptídeos individuais será utilizada a abordagem de Phage Display descrita pelo candidato. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.