Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de leishmaniose tegumentar e visceral em primatas não humanos procedentes do Parque Zoológico Municipal de Bauru, SP

Processo: 14/12187-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Simone Baldini Lucheis
Beneficiário:Lívia Maísa Guiraldi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Zoonoses   Leishmaniose cutânea   Leishmaniose visceral   Primatas   Zoológicos   Técnicas e procedimentos diagnósticos   Bauru (SP)

Resumo

A leishmaniose é uma zoonose causada por protozoários pertencentes à ordem Kinetoplastida, família Trypanosomatidae e gênero Leishmania, tendo como vetores insetos dípteros, pertencentes ao gênero Lutzomyia. Encontra-se amplamente distribuída pelo mundo, principalmente em regiões tropicais e subtropicais, considerada uma doença negligenciada e de grande importância em saúde pública. Dentre as formas de apresentação, as leishmanioses podem manifestar-se como visceral e tegumentar, tendo como agentes várias espécies de Leishmania, sendo que Leishmania (L.) infantum é o agente causal da leishmaniose visceral e várias espécies responsáveis pela leishmaniose tegumentar, como Leishmania (Viannia) braziliensis, Leishmania (L.) major, Leishmania (L.) mexicana, Leishmania (L.) amazonensis, além de outras espécies. Apesar de o cão ser considerado o principal reservatório da leishmaniose, estudos têm mostrado que diversos animais domésticos e silvestres podem atuar como reservatórios. Alguns primatas estão associados com o ciclo enzoótico das leishmanioses. A infecção natural por protozoários do gênero Trypanosoma e Leishmania em mamíferos selvagens é comum na natureza. Em relação aos primatas neotropicais, diferentes infecções são causadas por vários agentes que também acometem humanos, em particular, infecções causadas por Leishmania spp. Portanto, pretende-se pesquisar a ocorrência de leishmaniose tegumentar e visceral em primatas não humanos procedentes do Parque Zoológico Municipal de Bauru (SP), associando-se as técnicas de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) e Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) para Leishmania (L.) infantum, Leishmania (L.) major, Leishmania (L.) amazonensis, Leishmania (Viannia) braziliensis e Leishmania (L.) mexicana, a partir de amostras de sangue destes animais e posterior sequenciamento genético, possibilitando a identificação dos animais realmente infectados e o papel destes como reservatórios destas leishmanioses. Assim, este estudo pretende investigar a situação epidemiológica destas zoonoses, para que se possa sugerir medidas de controle com manejo sanitário no local. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GUIRALDI, Lívia Maísa. Pesquisa de tripanosomatídeos em primatas de cativeiro do Parque Zoológico Municipal de Bauru, São Paulo. 2016. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.