Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação antitumoral da formulação lipossomal DODAC com o composto fosfoetanolamina sintética em células tumorais de mama humana

Processo: 14/02344-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Durvanei Augusto Maria
Beneficiário:Manuela Garcia Laveli da Silva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Apoptose   Neoplasias mamárias   Fosfoetanolamina   Células tumorais   Linhagem celular tumoral

Resumo

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais letal para as mulheres em todo o mundo, apesar das diversas abordagens convencionais como a radioterapia, quimioterapia e a terapia hormonal. A resistência de células tumorais a quimioterapia constitui um importante obstáculo clínico para o sucesso da terapia do câncer. A fosfoetanolamina sintética é uma molécula fosforilada artificialmente, o que a torna diferente das moléculas atuais por seu nível de absorção de aproximadamente 90%, com propriedades anti-inflamatórias e pró-apoptóticas. Nosso grupo tem desenvolvido diversos experimentos associando a Pho-S com as vesículas lipossomais e os resultados são plenamente satisfatórios quanto à eficácia da formulação lipossomal, sendo no futuro uma nova alternativa no tratamento de tumores. Neste projeto o objetivo é avaliar os efeitos antiproliferativos e pró-apoptóticos in vitro da formulação lipossomal DODAC com a fosfoetanolamina sintética em linhagem tumoral de mama humana, MCF-7. Os efeitos de citotoxicidade da fosfoetanolamina nas linhagens tumorais serão avaliados pela viabilidade celular pelo teste colorimétrico MTT e a detecção da IC50%, pela produção de radicais livres lipoperoxidados (LPO), das alterações nas vias de morte celular por citometria de fluxo. As alterações intraestruturais por microscopia eletrônica de varredura e confocal a laser. Marcação das vesículas lisossomais e do potencial elétrico mitocondrial por sonda rodamina-123. O arranjo do citoesqueleto pela marcação com faloidina e da quantificação das células em senescência pela coloração com ²-galactosidase. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
A prova final da fosfoetanolamina