Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito antitumoral da associação de paclitaxel a uma nanoemulsão lipídica que se liga a receptores da lipoproteína de baixa densidade (LDL), em linhagens derivadas de adenocarcinoma pancreático humano

Processo: 14/12064-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Carmen Guilherme Christiano de Matos Vinagre
Beneficiário:Caroline Grillette Negri
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Proliferação celular   Nanoemulsão   Paclitaxel   Lipoproteínas   Adenocarcinoma   Sobrevivência celular   Testes de sensibilidade microbiana

Resumo

O adenocarcinoma pancreático é um dos tipos de câncer humano, mais letais e continua sendo a quarta causa de morte por câncer e a segunda entre as doenças malignas do trato gastrointestinal nos Estados Unidos. Sua natureza altamente agressiva e os sintomas pouco específicos levam ao diagnóstico tardio e à resistência à quimioterapia e radioterapia disponíveis. Partindo da constatação de que algumas linhagens de células neoplásicas expressam um maior número de receptores de lipoproteína de baixa densidade (LDL), vários estudos mostraram que nanopartículas lipídicas artificiais que se ligam aos receptores de LDL podem ser utilizadas como transportadores de quimioterápicos em vários tipos de neoplasias. Com isso, o tratamento poderia ser mais direcionado poupando o tecido normal. O objetivo do presente estudo é avaliar o efeito antitumoral da associação nanoemulsão-paclitaxel em linhagens celulares derivados de adenocarcinoma pancreático humano. Para isso, serão utilizados ensaios de proliferação celular e de apoptose: concentração inibitória (IC50) e capacidade inibitória da proliferação celular, teste de viabilidade e proliferação celular e determinação da viabilidade celular pelo ensaio do MTT (3-(4,5-dimetiltiazol-2yl)-2,5-difenil brometo de tetrazolina).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)