Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto dos tônus da musculatura orofaríngea sobre o acúmulo de fluido nas vias aéreas superiores durante a posição supina em homens saudáveis

Processo: 14/02881-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Geraldo Lorenzi Filho
Beneficiário:Beatriz Antipou dos Santos
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pneumologia   Apneia obstrutiva do sono   Orofaringe   Região cervical   Impedância elétrica   Tomografia de impedância elétrica

Resumo

A apneia obstrutiva do sono (AOS) é um distúrbio respiratório comum, caracterizado pelo estreitamento e oclusão recorrente da via aérea superior (VAS) durante o sono. Um trabalho recente demonstrou que exercícios orofaríngeos diminuem a gravidade da AOS. No entanto, os mecanismos de ação da nova terapia são desconhecidos. Trabalhos recentes sugerem que a posição supina causa deslocamento de líquido para o pescoço e contribui para a obstrução da via aérea superior. O objetivo deste trabalho é testar a hipótese de que o aumento do tônus musculares da orofaringe durante a posição supina reduz o acúmulo de líquido na via aérea superior e resulta em maior patência e menor colapsabilidade da via aérea. Quinze adultos saudáveis do sexo masculino, permanecerão na posição supina por uma hora em dois experimentos independentes (sequencia aleatorizada): relaxado ou com ativação da musculatura da via aérea superior com escudo oral. Os indivíduos serão monitorizados através da Tomografia de Impedância Elétrica cervical (método em desenvolvimento no Laboratório do Sono - Incor), Bioimpedância Segmentar e colapsabilidade da via aérea superior (Pressão Negativa Expiratória - NEP). As variáveis de desfecho serão: impedância cervical total (infere a variação de líquido na via aérea superior), impedância cervical luminal (infere a variação do lúmen da via aérea superior), impedância regional (infere a quantidade de líquido na via aérea superior) e NEP (infere a colapsabilidade da via aérea superior). O estudo contribuirá para o entendimento do papel dos tônus da musculatura da via aérea superior no acúmulo de líquido na região cervical.