Busca avançada
Ano de início
Entree

Articulação entre pesquisa e tomada de decisão: as mudanças climáticas no município de Santos e sua capacidade adaptativa

Processo: 14/14598-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Lucí Hidalgo Nunes
Beneficiário:Fabiano de Araujo Moreira
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/51876-0 - Uma estrutura integrada para analisar tomada de decisão local e capacidade adaptativa para mudança ambiental de grande escala: estudos de caso de comunidades no Brasil, Reino Unido e Estados Unidos, AP.TEM
Assunto(s):Mudança climática   Santos (SP)   Climatologia

Resumo

A elevação do nível dos oceanos a partir das mudanças climáticas causaria sérias alterações na dinâmica costeira e na interação entre as zonas urbanas e oceano, inviabilizando usos e funções em setores estratégicos. Portanto, é premente a elaboração de políticas públicas de redução e adaptação a essa ameaça nas aglomerações urbanas costeiras. Sob essa égide, esta pesquisa visa contribuir para a articulação entre os cenários projetados por pesquisas científicas e as decisões políticas no município de Santos, já que as ações municipais por parte dos tomadores de decisão têm se pautado nos problemas imediatos, não incorporando de forma efetiva as previsões de mudanças ambientais desenvolvidas no campo científico. Parte do projeto temático Metropole, (chamada Belmont/ Fapesp), tem-se por meta observar se as mudanças climáticas estão efetivamente internalizadas em ações, ou se elas aparecem meramente como um discurso inócuo, sem medidas e que, dessa forma, poderia trazer consequências duradouras e nefastas para esse município altamente estratégico e dinâmico, tanto em suas componentes físicas como socioespaciais. Para essa avaliação, serão considerados cenários de alteração do nível do mar, que estão sendo elaborados no âmbito do projeto geral e como o município estaria ou não se preparando para isso, cuja avaliação se fará a partir da aplicação de um índice desenvolvido por pesquisadores do King's College of London (Índice de Capacidade Adaptativa), a ser aplicado em uma série de agentes que têm por responsabilidade ditar a regulamentação do município, observando como o discurso se traduz, ou não, em ações efetivas para a adaptação municipal face ao advento das mudanças climáticas, em especial, mudanças no nível do mar. (AU)