Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução do tamanho de corpo em mamíferos: a prevalência de Cope's rule

Processo: 14/20385-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 31 de outubro de 2014
Vigência (Término): 27 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Tiago Bosisio Quental
Beneficiário:Mauro Toshiro Caiuby Sugawara
Supervisor no Exterior: Luke J. Harmon
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Idaho, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/10885-0 - Dinâmica da diversificação de Placentalia (Mammalia): integrando o registro fóssil com filogenias moleculares., BP.MS
Assunto(s):Evolução animal

Resumo

O tamanho do corpo influencia ou reflete diversos aspectos da biologia de uma espécie. A dinâmica de evolução do tamanho tem sido investigada basicamente por meio de duas abordagens: análises de ocorrências no registro fóssil e análises filogenéticas comparativas de espécies atuais. Entretanto, estas abordagens diferem muito em relação ao seu objeto de estudo. A análise do registro fóssil é a maneira mais direta de se estudar a dinâmica da diversificação de uma dada linhagem e geralmente compreende milhões de anos, mas as imperfeições do registro fóssil limitam esta análise a algumas poucas linhagens. Por outro lado, estudos filogenéticos comparativos de espécies atuais permitem que as relações filogenéticas entre diversas espécies sejam consideradas, embora existam diversas limitações nos estudos de história evolutiva que utilizam apenas dados moleculares.Um padrão impressionante que surge da análise do registro fóssil é a tendência de aumento do tamanho do corpo ao longo do tempo, conhecido como Cope's rule. Em mamíferos, para as linhagens que possuem um registro fóssil adequado, Cope's rule é corroborada pela análise do registro fóssil. Além disso, a tendência das linhagens aumentarem de tamanho é utilizada como uma das hipóteses para explicar a distribuição de tamanho dos mamíferos atuais. Porém, nunca foi encontrada evidência a favor de Cope's rule em estudos baseados apenas em filogenias moleculares. Esta inconsistência indica as vantagens e desvantagens de ambas abordagens. Da perspectiva do registro fóssil temos evidência direta, mas taxonomicamente limitada, para investigar a prevalência de Cope's rule. Da perspectiva dos métodos filogenéticos comparativos que utilizam apenas espécies atuais, não há tal limitação (estudos costumam incluir grande número de espécies e linhagens, abrangendo ordens ou até mesmo todos os mamíferos) mas as inferências são indiretas.Neste projeto eu vou integrar ambas abordagens dentro de um contexto filogenético explícito para compreender melhor a evolução do tamanho de corpo em mamíferos, mais especificamente, irei determinar a prevalência de Cope's rule. (AU)