Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da acidificação oceânica em Astropecten irregularis (Echinodermata: Asteroidea)

Processo: 14/12879-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 15 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 14 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Alexander Turra
Beneficiário:Wellington Silva Fernandez
Supervisor no Exterior: Ian McCarthy
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Bangor University, País de Gales  
Vinculado à bolsa:13/19826-6 - Influência da acidificação na dinâmica populacional de Astropecten marginatus e Luidia senegalensis (Echinodermata: Asteroidea), BP.PD
Assunto(s):Asteroidea   Concentração de íons de hidrogênio   Dióxido de carbono   Mudança climática

Resumo

Nos últimos 250 anos, a concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera tem aumentado significativamente, principalmente decorrente da queima de combustíveis fósseis com o início da era industrial, sendo que praticamente metade de todo o CO2 atmosférico tem sido absorvido pelos oceanos, promovendo o processo denominado de acidificação. Estimativas indicam que houve uma redução de 0,1 unidade no pH dos oceanos desde a era industrial e que até o final do século XXI pode ocorrer uma queda de até 0,4 unidades. A acidificação dos oceanos (AO) tende a afetar profundamente os organismos marinhos, principalmente aqueles com esqueletos calcários, como os echinodermatas. Estas alterações podem acontecer pelo decréscimo de saturação do carbonato de cálcio (CaCO3) ou por distúrbios do equilíbrio ácido-base que veem a prejudicar o balanço energético dos indivíduos, com possíveis consequências em nível populacional e de comunidade. Neste contexto, pretende-se com o estágio na "School of Ocean Sciences" na Universidade de Bangor (UK) ampliar o conhecimento da montagem e manutenção do sistema de aquários de AO para o desenvolvimento de um centro para estudos sobre acidificação oceânica no estado de São Paulo, com sede no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IOUSP) e avaliar a influência da acidificação dos oceanos sobre alimentação, a regeneração, a reprodução, o crescimento corpóreo, nível de estresse fisiológico e a taxa metabólica em Astropecten irregulares (espécie de região temperada). Além disso, este estudo possibilitará a comparação dos resultados obtidos do presente projeto com os resultados que serão gerados futuramente com os experimentos realizados em Astropecten marginatus (espécie de região tropical) no IOUSP, dentro do projeto de cooperação internacional "Tropical and Temperate Marine Ecosystems - Adapting to a Changing World" (FAPESP N°. 2013/50197-5). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.