Busca avançada
Ano de início
Entree

Práticas de nomeação no Planalto Central de Angola (1926-1961)

Processo: 14/20326-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 10 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 09 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Paula Montero
Beneficiário:Iracema Hilário Dulley
Supervisor no Exterior: Matthew Engelke
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of London, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:13/13112-1 - Nomeação e alteridade: os nomes da diferença em Angola (1926-1961), BP.PD
Assunto(s):Colonialismo

Resumo

O projeto de pós-doutoramento da candidata junto à Fapesp (Nr. 2013/13112-1) propõe compreender como os "outros" do colonialismo foram nomeados e caracterizados durante o regime do indigenato (1926-1961) no Planalto Central de Angola. A pesquisa histórica baseia-se principalmente nos arquivos das missões congregacionalistas da ABCFM (American Board of Commissioners for Foreign Missions) e enfoca a relação entre categorias legais de classificação - como indígena, cidadão e assimilado - e formas de designação de si e de outros em umbundu - como ocindele (branco), ocimbundu (negro) e ocimbali (algo entre as duas categorias anteriores). O primeiro ano de investigação foi dedicado a compreender o regime do indigenato e à análise das fontes históricas, bem como à pesquisa de campo em Luanda e no Huambo. Esta se voltou para os nomes próprios (genealogias) e trajetórias dos habitantes do Planalto Central ligados às missões católicas e protestantes. Durante o ano que a candidata pretende passar no Departamento de Antropologia da London School of Economics, ela procurará compreender a relação entre nomes pessoais e posição social (tanto da perspectiva da legislação colonial quanto dos falantes de umbundu). Especial atenção será dada às transformações nas configurações dos padrões de nomeação relacionados às trajetórias de famílias convertidas ao protestantismo. (AU)