Busca avançada
Ano de início
Entree

A linguagem no campo do sentir: o objeto da Psicologia à luz da Filosofia de Merleau-Ponty

Processo: 14/14703-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Fundamentos e Medidas da Psicologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Reinaldo Furlan
Beneficiário:Gilberto Hoffmann Marcon
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Linguagem   Filosofia   Fenomenologia (psicologia)   Filósofos   Franceses

Resumo

A linguagem constitui tema de grande interesse para um estudo compreensivo dos fenômenos subjetivos. Na Psicologia e em outras Ciências humanas, são várias as abordagens que se dirigiram aos fenômenos linguísticos como um âmbito central para a compreensão do fenômeno humano. Na Psicologia contemporânea, a linguagem se apresenta enquanto tema de estudo privilegiado pois abarca, ao mesmo tempo, a ordem da produção de sentidos individuais e intersubjetivos, além de se apresentar enquanto sistema socialmente construído. Articula, desta forma, o individual e o social, fenômenos da ordem do particular que remontam à um contexto cultural de subjetivação. Como parte de um esforço para compreender o objeto de estudo da Psicologia a partir da Filosofia de Maurice Merleau-Ponty (1908-1961), acreditamos que um estudo aprofundado da noção de linguagem que suas reflexões oferecem poderá representar um passo relevante. Já no debate com as Ciências do comportamento e com a Fisiologia empirista, n'A Estrutura do comportamento (1942), Merleau-Ponty realiza uma leitura de que, sem recorrer a uma leitura mentalista da consciência, é possível identificar um protótipo da atividade significativa já na relação do organismo vivo com seu meio. Posteriormente, ao voltar-se para a Fenomenologia da percepção (1945), ponto central do projeto filosófico do autor, veremos de que maneira ele apresenta, em sua descrição da consciência perceptiva e da subjetividade corpórea, suas primeiras teses a respeito da linguagem, que têm como conceitos centrais o sentido gestual da fala e o caráter fundante da atividade expressiva em relação ao significado. Trata-se de propor que as operações de sentido se realizam através da própria expressão, e não que a expressão meramente traduz um sentido que lhe precede em pensamento. Acompanharemos os desenvolvimentos desta temática no período em que o filósofo lecionou na Sorbonne (1949-1952), onde o diálogo com a Linguística de Saussure dá novos contornos ao projeto de compreensão da linguagem, que vai do sentido gestual para o caráter sistemático da língua enquanto sistema sedimentado através da fala. Buscaremos analisar o sentido de cada um destes momentos das proposições do autor a respeito do tema, bem como o movimento pelo qual ele passa de uma concepção à outra. A partir disso, procuraremos elucidar as possíveis contribuições que uma noção fenomenológica de linguagem, inserida no campo do sentir, oferece para um estudo da subjetividade no âmbito da Psicologia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MARCON, Gilberto Hoffmann. A linguagem no campo do sentir: um objeto da psicologia à luz da filosofia de Merleau-Ponty. 2017. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.