Busca avançada
Ano de início
Entree

Imagens da África: espectros da colonização no congo (RDC) na arte contemporânea

Processo: 14/22371-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 15 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 14 de junho de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Cinema
Pesquisador responsável:Carolin Overhoff Ferreira
Beneficiário:Emi Koide
Supervisor no Exterior: Filip De Boeck
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Leuven (KU Leuven), Bélgica  
Vinculado à bolsa:13/08117-4 - Imagens da África: espectros da colonização no Congo, R.D.C, BP.PD
Assunto(s):Arte contemporânea   Memória cultural   África

Resumo

Este projeto de pesquisa a ser realizado na Bélgica/Europa tem como objetivo contribuir ao desenvolvimento do atual projeto de pós-doutorado no Brasil, financiado pela Fapesp. Para analisar as obras de arte em quarto suportes - em filme, vídeo, vídeoinstalação e fotografia - produzidos entre 1990-2015, que engajam uma prática de pesquisa histórica e de arquivo colonial e pós-colonial relacionada à República Democrática do Congo (RDC), o fenômeno da Congomania, é importante aprofundar a pesquisa sobre os discursos históricos em diferentes campos - os significados políticos e culturais, os impactos em cada uma das esferas e diferentes comunidades (Europeus, Belgas Valões, Belgas Flamengos, Congoleses da diáspora, Congoleses na RDC, comunidade internacional). Tal fenômeno será analisado focando em obras de arte contemporânea significativas, produzidas por artistas que trabalharam com pesquisa histórica sobre a RDC, lidando com o retorno dos espectros e fantasmas dos tempos coloniais e pós-coloniais. Meu objetivo é enriquecer e fornecer mais informações contextuais, considerando as complexidades do debate para analisar as obras de Christine Meisner, Mathieu Abonnenc, Sammy Baloji, Raoul Peck, Monique Phoba, Sven Augustijnen, Michèle Magema, Robert Jan-Lacombe, Renzo Martens and Vincent Meessen. Outras obras recentes relacionadas ao tema poderão ser eventualmente incluídas. É fundamental para o projeto levar em consideração a paisagem discursiva sobre o Congo, tal como referida por De Boeck, que se estabeleceu no século XIX - o Congo imaginário retratado como lugar "selvagem" marcado pelo horror tal como apresentado por Joseph Conrad - que persiste até os dias de hoje. Deste modo, discursos sobre a história e as próprias obras de arte em questão podem revelar continuidades e rupturas - intencionais ou não - a esta figura fantasmática. Nosso estudo procura participar deste debate crítico, que envolve estética, teoria pós-colonial, discursos históricos e o imaginário. (AU)