Busca avançada
Ano de início
Entree

Funcionamento psicodinâmico familiar e características de personalidade na perspectiva de país, mães e filhas

Processo: 14/18615-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 01 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Manoel Antônio dos Santos
Beneficiário:Élide Dezoti Valdanha-Ornelas
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/02147-7 - Funcionamento psicodinâmico familiar e características de personalidade na perspectiva de país, mães e filhas, BE.EP.DR
Assunto(s):Técnicas projetivas   Relações familiares   Transtornos da alimentação e da ingestão de alimentos

Resumo

Os transtornos alimentares (TAs) vêm ganhando crescente visibilidade no cenário científico nacional e internacional, configurando um problema de saúde que tem inquietado profissionais da área, pais e educadores. Anorexia nervosa (AN) e bulimia nervosa (BN) são os tipos de TAs mais prevalentes. Essas psicopatologias têm etiologia multifatorial. São considerados fatores disparadores e mantenedores da sintomatologia: meio sociocultural, relações familiares e aspectos de personalidade. A literatura aponta que vêm crescendo o número de pesquisas que buscam compreender o papel da família nos TAs, pois o grupo familiar pode afetar o desenvolvimento e curso dos sintomas, mas a dinâmica familiar também é afetada de maneira marcada pelo convívio com o membro acometido. Sob a ótica da psicanálise, o TA pode ser entendido como uma resposta disfuncional aos conflitos familiares latentes, uma tentativa frustrada de mascarar um sofrimento emocional que não é passível de ser representado simbolicamente, nem pode ser elaborado ou aceito pela família. Percebe-se nessas famílias a confusão de papéis e funções, em que os membros do grupo não conseguem se individualizar, adquirir autonomia e conquistar sua identidade. Os estudos focalizam, sobretudo, o padrão de relacionamento mãe-filha, sendo escassas as pesquisas que se dedicam a compreender os psicodinamismos familiares. Nessa direção, este estudo tem por objetivo investigar o funcionamento psicodinâmico familiar, por meio de avaliação psicológica das características de personalidade de pais, mães e suas filhas diagnosticadas com TAs, buscando identificar possíveis relações com a precipitação e manutenção do quadro. Trata-se de um estudo clínico-qualitativo, fundamentado no referencial teórico psicanalítico. A amostra do presente estudo será dividida em dois grupos (Clínico e de Comparação - não clínico), totalizando 60 participantes. O Grupo Clínico será composto por 10 adolescentes e jovens adultas com diagnóstico de TAs (AN ou BN), vinculadas a um serviço especializado de um hospital universitário do interior do estado de São Paulo, e seus respectivos pais e mães, totalizando 30 participantes (Grupo Clínico). O Grupo de Comparação (não-clínico) será composto por 10 adolescentes e jovens adultas, sem diagnósticos de psicopatologias ou de doenças orgânicas, seus pais e suas mães, totalizando 30 participantes. Os instrumentos utilizados para a coleta dos dados serão: (1) Formulário de Dados Sociodemográficos e Critério de Classificação Econômica Brasil; (2) Roteiro de Entrevista Semiestruturada; (3) Teste das Matrizes Progressivas de Raven, Escala Geral; (4) Questionnaire for Eating Disorder Diagnosis (Q-EDD); (5) Teste de Rorschach; (6) Procedimento de Desenho de Família com Estórias (DF-E). Os instrumentos serão aplicados individualmente. São previstas três sessões de coleta de dados com cada participante. O material coletado será audiogravado e, posteriormente, transcrito e analisado de acordo com as diretrizes de cada instrumento. Os dados dos pais, mães e suas filhas serão triangulados e organizados sob a forma de estudos de caso coletivos, considerando como "caso" o conjunto de dados coletados com cada unidade familiar e interpretados sob a ótica do referencial teórico psicanalítico. Espera-se que este estudo possa proporcionar conhecimento para a prática clínica no que diz respeito à articulação entre as vivências das relações familiares, as características de personalidade e a manifestação dos sintomas de TAs, levando a uma compreensão mais abrangente dos aspectos psicológicos subjacentes, que poderão contribuir para subsidiar as ações e intervenções dos profissionais envolvidos na assistência, prevenção e promoção em saúde. (AU)