Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da infecção respiratória por Pseudomonas aeruginosa em pacientes com fibrose cística em um Centro de Referência no Brasil: avaliação da utilidade de quatro diferentes métodos diagnósticos

Processo: 14/00007-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carlos Emilio Levy
Beneficiário:Renan Marrichi Mauch
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/26043-3 - Avidez de anticorpos contra Pseudomonas aeruginosa durante a infecção respiratória e a resposta imune humoral a diferentes patógenos durante a exacerbação pulmonar na fibrose cística, BE.EP.DR
Assunto(s):Infecções respiratórias   Pseudomonas aeruginosa   Fibrose cística   Técnicas e procedimentos diagnósticos

Resumo

A Fibrose Cística (FC) é uma doença genética, decorrente da disfunção da proteína reguladora da condutância transmembrana (CFTR), essencial para o transporte de íons e água pela membrana celular, sendo a doença pulmonar a mais preponderante das manifestações. Ocorre desidratação das secreções respiratórias com aumento da viscosidade, dificultando o transporte mucociliar, evoluindo para obstrução crônica das vias aériferas inferiores, com colonização bacteriana seguida de infecções, principalmente por Pseudomonas aeruginosa, bactéria de maior relevância para esses pacientes. O método padrão-ouro para a detecção de P. aeruginosa é a cultura de material respiratório (escarro ou swab orofaríngeo), o qual apresenta limitações, como a coleta de pouco material e baixo poder de detecção, levando à necessidade de métodos de maior acurácia. As técnicas de sorologia e real-time PCR têm mostrado altos valores preditivos positivos e negativos, além de maior capacidade de detecção precoce, podendo ser úteis para esse propósito. Além disso, a pesquisa de IgAsecretora (IgAs) em saliva recentemente surgiu como um método com potencial capacidade de detecção da infecção das vias aeríferas superiores por P. aeruginosa, o que pode anteceder a infecção pulmonar.Nesse contexto, o objetivo deste projeto de pesquisa é avaliar a utilidade de três métodos laboratoriais - real-time PCR de amostras respiratórias, ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay) para pesquisa de anticorpos anti-P. aeruginosa (IgG sérica e IgAs) - em relação à cultura microbiológica de material respiratório para a detecção da infecção respiratória por P. aeruginosa em pacientes recentemente diagnosticados com FC no centro de referência do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (HC-Unicamp). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAUCH, RENAN MARRICHI; ROSSI, CLAUDIO LUCIO; NOLASCO DA SILVA, MARCOS TADEU; AIELLO, TALITA BIANCHI; RIBEIRO, JOSE DIRCEU; RIBEIRO, ANTONIO FERNANDO; HOIBY, NIELS; LEVY, CARLOS EMILIO. Secretory IgA-mediated immune response in saliva and early detection of Pseudomonas aeruginosa in the lower airways of pediatric cystic fibrosis patients. MEDICAL MICROBIOLOGY AND IMMUNOLOGY, v. 208, n. 2, p. 205-213, APR 2019. Citações Web of Science: 1.
MAUCH, RENAN M.; ROSSI, CLAUDIO L.; AIELLO, TALITA B.; RIBEIRO, JOSE D.; RIBEIRO, ANTONIO F.; HOIBY, NIELS; LEVY, CARLOS E. Secretory IgA response against Pseudomonas aeruginosa in the upper airways and the link with chronic lung infection in cystic fibrosis. PATHOGENS AND DISEASE, v. 75, n. 6 AUG 2017. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.