Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento dos efeitos do fogo sobre a fenologia e a estrutura da comunidade dos campos rupestres e cerrado por meio de sensoriamento remoto

Processo: 14/12728-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 29 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Thiago Sanna Freire Silva
Beneficiário:Swanni Tatiana Alvarado Romero
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/14236-7 - Características morfológicas das cicatrizes de queimadas como indicador dos regimes de fogo: uma comparação entre as savanas tropicais na África e América do Sul através do sensoriamento remoto, BE.EP.PD   16/00879-0 - Comparação do regime de fogo em savanas tropicais: padrões temporais e espaciais da ocorrência de incêndios por meio de sensoriamento remoto, BE.EP.PD
Assunto(s):Sensoriamento remoto   Ecologia da paisagem

Resumo

O Cerrado brasileiro é um dos maiores centros de biodiversidade da América do Sul. O fogo, a topografia, a geomorfologia, a umidade do solo e a disponibilidade de nutrientes estão entre os principais fatores que determinam as condições fisionômicas da vegetação do Cerrado. O fogo, especificamente, atua como um distúrbio natural, determinando a fenologia, estrutura e diversidade da vegetação. As projeções atuais das mudanças climáticas sugerem um aumento da temperatura global, o que poderia aumentar do risco de incêndio, bem como sua intensidade e frequência. Além disso, a pressão antrópica atual também resulta em um aumento nos incêndios, com queimas anuais ou bianuais do estrato herbáceo e da camada lenhosa. O fogo induzido pelo homem é uma das maiores ameaças para o Cerrado, e os estudos sobre seu impacto sobre as plantas neste ecossistema são importantes para entender a dinâmica da vegetação e prever a trajetória de recuperação das comunidades vegetais. A pesquisa proposta tem como principal objetivo a caracterização dos efeitos da ocorrência de incêndios e frequência do fogo em fisionomias do Cerrado e campos rupestres no Parque Nacional da Serra do Cipó (MG), e Área de Proteção Ambiental Morro da Pedreira (MG), combinando métodos de sensoriamento remoto e análise in situ da diversidade e estrutura da vegetação. O estudo será baseado em uma base de dados gratuitos de sensoriamento remoto. Séries temporais de imagens Landsat 5 TM, Landsat 7 ETM+ e Landsat 8 OLI serão usadas para produzir mapas da frequência de queima e tempo desde o último incêndio, para o período entre 1984 e 2014. Imagens do sensor MODIS, produto EVI serão utilizados para estudar a dinâmica da vegetação e os padrões fenológicos, estes últimos derivados o algoritmo TIMESAT, desenvolvido especificamente para caracterizar tendências fenológicas em imagens de sensoriamento remoto. Os mapas finais de frequências de queimada e tempo desde o último fogo serão usados para delinear um plano de amostragem para caracterizar in situ a estrutura e composição das comunidades vegetais de cerrado e campos rupestres após o fogo. A compreensão das respostas da vegetação ao fogo é essencial para prever-se sua dinâmica de recuperação, orientar as práticas de gestão, e avaliar estratégias de restauração em paisagens susceptíveis ao fogo. Os resultados da pesquisa proposta irão proporcionar um forte apoio para a restauração ecológica de comunidades herbáceas e lenhosas no Cerrado, e poderão ser utilizados para aumentar a resistência e acelerar a recuperação da vegetação degradada por incêndios frequentes. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.