Busca avançada
Ano de início
Entree

Localização dos receptores opióides no sistema nervoso central e avaliação dos efeitos analgésico e sedativo dos opióides em iguanas-verdes (Iguana iguana)

Processo: 14/09529-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Adriano Bonfim Carregaro
Beneficiário:Thais Feres Bressan
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Analgesia   Anestesiologia veterinária   Répteis   Receptores opioides

Resumo

O estudo tem como objetivo localizar os receptores opioides (OR) no Sistema Nervoso Central (SNC) de iguanas-verdes (Iguana iguana) e avaliar o efeito sedativo e analgésico da morfina e do butorfanol em diferentes doses nesses animais. Para isto o estudo será dividido em três fases. A primeira fase, caracterização e localização dos OR no SNC, será realizada inicialmente com a clonagem e amplificação do cDNA referente ao OR utilizando a técnica de 3` e 5` RACE PCR, em que espera-se formar uma sequência de nucleotídeos referente aos MOR e KOR de iguanas, para posteriormente localizar a distribuição dos OR no SNC, por meio de teste de imunohistoquímica. Para realização da segunda e terceira fases serão utilizados 10 animais jovens, de ambos os sexos, pesando entre 50 e 150 gramas, submetidos a cinco tratamentos: morfina 10mg/kg (GM10), morfina 20mg/kg (GM20), butorfanol 10mg/kg (GB2), butorfanol 20mg/kg (GB20) e 0,5mL de solução salina 0,9% (GC), todos administrados por via IM. Na segunda fase será avaliada a atividade locomotora dos animais antes do tratamento (basal) e em 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 6, 12 e 24 horas após a administração dos tratamentos. Os animais serão posicionados no centro da arena do teste de campo aberto e a atividade locomotora será filmada por cinco minutos, para posterior avaliação. Na terceira fase, será avaliada a analgesia promovida pelos opioides nesses animais, por meio de teste de termoestimulação. Será avaliado o tempo de retirada do membro ao estímulo álgico (45 - 47°C) antes dos tratamentos (basal), aos 30 minutos, 1, 2, 3, 4, 6, 12 e 24 horas após a administração do tratamento. É esperado que este estudo possa caracterizar e localizar os MOR e KOR no SNC de iguanas, bem como esclarecer os efeitos sedativos e analgésicos da morfina e do butorfanol, na espécie. Ademais, espera-se determinar as doses mais adequadas dos opioides testados para iguanas. (AU)