Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização da atividade proteolítica de bactérias láticas contra proteínas alergênicas do leite e avaliação da capacidade de ligação dos hidrolisados com IgE específica

Processo: 14/22097-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 15 de janeiro de 2015
Vigência (Término): 14 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco
Beneficiário:Vanessa Bíscola
Supervisor no Exterior: Thomas Haertlé
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Institut National de la Recherche Agronomique, Nantes (INRA), França  
Vinculado à bolsa:13/11168-0 - Potencial de aplicação de bactérias láticas proteolíticas na redução da alergenicidade de proteínas do leite de vaca, BP.PD
Assunto(s):Bactérias láticas   Microbiologia de alimentos

Resumo

A Alergia às Proteínas do Leite de Vaca (APLV) é um problema de saúde pública que afeta 2,5% das crianças menores de três anos. A APLV está relacionada com o reconhecimento e ligação da Imuniglobulina E (IgE) aos epítopos presentes nas proteínas do leite. Uma alternativa para reduzir a resposta antigênica destas proteínas seria sua hidrólise por bactérias láticas (BAL) proteolíticas, capazes de quebrar os epítopos responsáveis pelo reconhecimento e ligação com a IgE. Entretanto, para viabilizar a aplicação de BAL proteolíticas no desenvolvimento de produtos lácteos hipoalergênicos, é necessário garantir que a hidrólise protéica alcance um grau suficiente para impedir a ligação dos hidrolisados com a IgE. Estes altos índices de hidrólise podem ser alcançados através da otimização das condições de fermentação, ou ainda da combinação de diferentes cepas proteolíticas, as quais produzem diferentes proteases, atuando sobre diferentes sítios na cadeia peptídica. Além disso, também é necessário avaliar a redução real na capacidade de ligação dos hidrolisados com IgEs específicas. O presente projeto de pós-doutorado tem por objetivo otimizar a atividade de cepas proteolíticas de BAL contra as principais proteínas responsáveis pela APLV, além de avaliar a capacidade de ligação dos hidrolisados, obtidos sob condições ótimas para a proteólise, com IgE específica presente no soro de pacientes portadores de APLV. Os experimentos serão conduzidos utilizando-se cepas proteolíticas obtidas na primeira etapa do projeto, desenvolvida na FCF/USP. Para a otimização da atividade proteolítica, as melhores condições de hidrólise serão avaliadas para cada cepa individualmente e também para pools, preparados cultivando-se duas ou mais cepas em conjunto. A extensão da hidrólise protéica será observada através de eletroforese SDS-PAGE, seguida de confirmação por FR-HPLC. A resposta antigência dos hidrolisados a IgEs específicas será avaliada por ELISA competitivo, utilizando-se o soro de pacientes portadores de APLV. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BISCOLA, V.; CHOISET, Y.; RABESONA, H.; CHOBERT, J. -M.; HAERTLE, T.; FRANCO, B. D. G. M. Brazilian artisanal ripened cheeses as sources of proteolytic lactic acid bacteria capable of reducing cow milk allergy. Journal of Applied Microbiology, v. 125, n. 2, p. 564-574, AUG 2018. Citações Web of Science: 2.
BISCOLA, V.; RODRIGUEZ DE OLMOS, A.; CHOISET, Y.; RABESONA, H.; GARRO, M. S.; MOZZI, F.; CHOBERT, J. -M.; DROUET, M.; HAERTLE, T.; FRANCO, B. D. G. M. Soymilk fermentation by Enterococcus faecalis VB43 leads to reduction in the immunoreactivity of allergenic proteins beta-conglycinin (7S) and glycinin (11S). BENEFICIAL MICROBES, v. 8, n. 4, p. 635-643, 2017. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.