Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta celular do predador de pragas Ceraeochrysa claveri (Navas, 1911) (Neuroptera: Chrysopidae) após a exposição ao biopesticida óleo de NIM (Azadirachta indica a. Juss)

Processo: 14/24264-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2014
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Daniela Carvalho dos Santos
Beneficiário:Ana Silvia Gimenes Garcia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/15016-2 - Resposta celular do predador de pragas Ceraeochrysa claveri (Navas, 1911) (Neuroptera: Chrysopidae) após a exposição ao biopesticida óleo de nim (Azadirachta indica A. Juss), AP.R
Assunto(s):Morfologia animal   Ovário   Testículo   Controle de pragas

Resumo

Agregar novas metodologias ao controle biológico e ao manejo integrado de pragas (MIP) são requisitos básicos para o desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável. Por isso, o uso de extratos vegetais e inimigos naturais, associados ou não, apresentam crescente demanda para controle dos níveis populacionais de insetos pragas. No entanto, pesquisas atuais vêm refutando a ideia de que compostos naturais com propriedades biopesticidas sejam mais seguros que compostos sintéticos sobre espécies de insetos não-alvo como os inimigos naturais, dentre eles os crisopídeos. Por serem predadores na fase de larva com ampla variedade de presas, e alto potencial reprodutivo na fase adulta, os crisopídeos, dentre estes Ceraeochrysa claveri, são excelentes modelos biológicos para análises de toxicidade e viabilidade de seu uso associado com compostos naturais em culturas que priorizam a manutenção da biodiversidade. O conhecimento da resposta celular de três órgãos vitais (intestino médio, testículos e ovários) para a manutenção da espécie C. claveri frente à exposição ao biopesticida óleo de nim, assim como a avaliação da capacidade de renovação do epitélio do mesêntero e sua ligação ao processo reprodutivo do inseto exposto ao biopesticida serão resultados importantes e inéditos que trarão contribuições significativas na detecção e caracterização de efeitos sub-letais que prejudicariam a continuidade de um controle biológico natural em um agroecossistema onde se faz uso do óleo de nim, podendo comprometer a perpetuação da espécie não alvo, devido a alterações em seu potencial reprodutivo. (AU)